Mais lidas
Entretenimento

Apucaranenses participam do reality de confeiteiros da GNT

.

Sueli Rosa e Amanda Rosa. Foto: Divulgação
Sueli Rosa e Amanda Rosa. Foto: Divulgação

A apucaranense Amanda Rosa, 26 anos, foi selecionada para participar do reality de confeiteiros Que Seja Doce, da GNT. A gastrônoma especialista em cake design contou com a ajuda da mãe Sueli Rosa para enfrentar os jurados. O episódio será exibido amanhã (14/03) às 19 horas. 

Formada em gastronomia, Amanda começou sua carreira como auxiliar até se tornar chef de cozinha em restaurantes. Mas foi com os doces que ela se destacou.

"Apesar de me sentir bem realizada com minhas funções infelizmente é uma profissão pouco valorizada em nossa região e decidi trabalhar por conta fazendo doces para ter mais liberdade em realizar projetos pessoais como engravidar", conta. 

Amanda Rosa é especialista em doces. Foto: Divulgação

Foram três anos trabalhando em casa, e com o aumento da procura, a gastrônoma decidiu então abrir uma boutique de doces. Ela conta que a ideia era criar um ambiente aconchegante e familiar. 

"Cada detalhe tem um pouco de mim, uma mistura que sonhei e idealizei", enfatiza. 

A boutique oferece doces de gastronomia internacional, principalmente de origem francesa e americana, além dos famosos brigadeiros e naked cakes (bolo pelado).

Naked Cake está entre as delícias criadas por Amanda Rosa. Foto: Divulgação

Sobre o programa
O programa é comandado pelo chef Felipe Bronze e chega à sua terceira temporada. Em cada episódio, três confeiteiros travam uma batalha e os jurados Carole Crema, Lucas Corazza e Roberto Strongoli escolhem o grande vencedor. 

“Eu sou muito fã do Felipe Bronze. Ele foi bem atencioso durante toda a participação do programa. Tem um conhecimento absurdo. Ele dá umas dicas e deixa o ambiente mais tranquilo. Os jurados são bem legais e somam bastante com as críticas construtivas”, comenta.

Amanda considera que, só o fato de ter sido selecionada já valorizou ainda mais o trabalho desenvolvido por ela e acrescenta que, independentemente do resultado, ela se inscreveu no programa para buscar a opinião dos jurados. 

"Eu achei superpositivo o resultado, somou muito para a minha segurança na minha profissão, me senti muito realizada e deu a confirmação que estou no caminho certo e que eu faço com amor. Voltei muito feliz. Foi uma experiência incrível, pois nunca havia trabalhado com tensão e pressão. Descobri um controle que não tinha e aprendi coisas que deveria melhorar, fez toda a diferença”, contou sem revelar o resultado. 

Amanda e a mãe Sueli com a equipe do programa Que Seja Doce. Foto: Divulgação

×

Newsletter

Conteúdo direto para você:

Quero Receber