Entretenimento

Galvão Bueno diz que sexo aos 60 anos 'é um espetáculo'

Da Redação ·
 Galvão Bueno
fonte: Globo.com
Galvão Bueno

Em entrevista à coluna de Mônica Bergamo, do jornal "Folha de S.Paulo", Galvão Bueno falou que o sexo aos 60 anos "é um espetáculo". O locutor também rasgou elogios à mulher, Desirée

continua após publicidade

"Ela é uma mulher e uma mãe espetacular. Me devolveu a vaidade, a vontade de viver mais, de ser mais jovem. Ela é 18 anos mais nova. E um amigo me disse: 'Galvão, a gente tem a idade da mulher que ama'. É que coisa bonita! Há dez anos fiz plástica, na pálpebra. Acho até que tá na hora de dar um tapinha aqui [no pescoço]. O papinho tá feio, tá caído aqui, ó!".

continua após publicidade

Galvão mora em Mônaco com Desirée e os dois filhos. "Foi um presente que me dei. Quanto Ayrton Senna morava lá, eu falava: 'Um dia eu vou ser gente pra morar aqui'. É uma coisa de realização, de você fazer aquilo que projetou há 25 anos. Lá, em duas horas estou em qualquer país para narrar um jogo. Facilitou a vida. Meus filhos estudam em escola internacional. Aqui [no Brasil] sou aconselhado a ter segurança, carro blindado. Lá não tem nada disso. A Desirée põe a mesa do janter, os meninos tiram".

continua após publicidade

FUTEBOL

O locutor, é claro, também falou sobre a derrota do Brasil na Copa do Mundo 2010. "Transmitir jogos da seleção brasileira, na minha profissão, é um êxtase. Mas talvez esta tenha sido a única das minhas dez Copas em que não tive nenhum prazer [nas partidas]. Você sentia que os jogadores não jogavam com gosto, eles jogavam com raiva, mais para dar respostas do que pelo prazer de jogar. Isso não é o futebo brasileiro. O processo foi tão doloroso, tão triste, uma coisa tão exagerada, tão radical".

Galvão também contou o problema que teve nas cordas vocais. "No jogo de Brasil e Holanda na Copa, eu travei. A minha voz falhava, parecia carro de embreagem ruim. O Cleber Machado chegou a ficar de prontidão. Me apavorei. No Brasil, o [cantor] Zezé Di Camargo me indicou o Luiz Cantoni, otorrinolaringologista. Ele botou as câmeras na minha garganta: 'Olha isso!'. Estava forrado de placas brancas. Peguei um fungo na boca, na garganta, na faringe. Sabe micose no dedo? Eu tenho nas cordas vocais. Rinite fungótica. Ó que nome doido? Tomei anti-inflamatórios, fungicidas e estou fazendo cinco gargarejos diários com Micostatin. Já estou quase perfeito. É o Fala Galvão. Voltei a gritar".