Entretenimento

Astronautas encerram caminhada sem regular sistema

Da Redação ·
 A ISS foi construída a partir de um projeto de US$ 100 bilhões (R$ 176 bilhões) que envolve 16 nações
fonte: Nasa TV/Reuters
A ISS foi construída a partir de um projeto de US$ 100 bilhões (R$ 176 bilhões) que envolve 16 nações

Os astronautas americanos Doug Wheelock e Tracy Caldwell Dyson concluíram neste sábado a primeira de duas caminhadas programadas pela Nasa (agência espacial americana) para reparar o sistema de refrigeração da Estação Espacial Internacional (ISS), sem poder substituir uma das bombas de amoníaco danificadas.

continua após publicidade

Os sistemas de refrigeração são fundamentais, pois mantêm a uma temperatura adequada os equipamentos e controles.

continua após publicidade

Cada módulo com bomba pesa 354 kg, e os astronautas terão de desligar e reativar cinco conexões elétricas e quatro dispositivos de desconexão rápida, entre outras tarefas.


Quase quatro horas após começar a caminhada, os astronautas enfretaram um grande problema, já que uma das quatro bombas que deveriam ser substituídas estava completamente obstruída.

continua após publicidade

Durante a jornada, Wheelock e Dyson conseguiram desligar os outros três módulos, mas a demora impediu que eles pudessem fazer a quarta instalação.

continua após publicidade

Sem tempo para continuarem a caminhada, os astronautas decidiram reconectar a tubulação à bomba estragada. Isso os obrigou a suspender alguns experimentos científicos e a apagar vários sistemas para impedir um superaquecimento da ISS, que depende do amoníaco líquido para esfriar seus sistemas.

Segundo as autoridades da Nasa, o problema com a bomba é uma falha que existe desde que o laboratório foi colocado em órbita, há doze anos. A Nasa previu outra caminhada para a próxima quarta-feira (11) a fim de que os astronautas tenham tempo suficiente para descansar e preparar uma segunda tentativa.

Construída a partir de um projeto de US$ 100 bilhões (R$ 176 bilhões) que envolve 16 nações desde 1998, a ISS funcionará pelo menos até 2020. A plataforma serve para testar experiências científicas e a capacidade humana para viagens em longas distâncias.