Entretenimento

Garrafa usa raios ultravioleta para esterilizar água

Da Redação ·
 Garrafa conseguiu esterilizar 99,9% das bactérias e vírus em apenas dois minutos; pastilhas de cloro e iodo levam 30 minutos para deixar água potável
fonte: Divulgação
Garrafa conseguiu esterilizar 99,9% das bactérias e vírus em apenas dois minutos; pastilhas de cloro e iodo levam 30 minutos para deixar água potável

Um estudante de desenho industrial da Universidade de Loughborough, no Reino Unido, criou uma garrafa que acaba com a necessidade de usar pastilhas de cloro e iodo para esterilizar (tirar os germes) a água - uma solução que leva 30 minutos para fazer efeito e que deixa um gosto estranho no líquido.

continua após publicidade

Batizada de Pure (pura, em inglês), ela usa luz ultravioleta para deixar a água potável. Um protótipo da garrafa foi testado e provou ser capaz de esterilizar 99,9% das bactérias e vírus, revelou, nesta quinta-feira (5), o jornal inglês Daily Mail.

continua após publicidade

Timothy Whitehead teve a ideia enquanto fazia uma viagem a Zâmbia, na África. Ele começou a fazer experiências usando a luz ultravioleta para esterilizar água rapidamente, sem alterar o sabor. Testes mostraram que a Pure é capaz de deixar a água potável em apenas dois minutos.

A água suja de um lago, um rio ou uma poça é colocada na câmara externa da garrafa. A câmara interna filtra partículas de água do tamanho de quatro mícrons (um milionésimo de metro). Assim que o líquido fica livre do sedimento é esterilizado durante um minuto e meio por meio de uma lâmpada ultravioleta.

continua após publicidade

Segundo Matthew Harrison, professor da Academia Real de Engenharia, a garrafa representa uma solução prática para resolver um problema real: “como obter água potável nos ambientes mais hostis”.

continua após publicidade

A garrafa de Whitehead foi escolhida para representar o Reino Unido no James Dyson Award, um prêmio internacional de design, cujo desafio é criar um produto que resolva algum problema.

O vencedor, que será anunciado no dia 5 de outubro, leva um prêmio de R$ 27,8 mil e o departamento da universidade onde estuda outros R$ 27,8 mil.

Estudantes de design industrial de 18 países apresentaram projetos neste ano.