Entretenimento

Toda nossa história foi marcada por Bowie, diz vocalista do Nenhum de Nós

.

SÃO PAULO, SP (FOLHAPRESS) - "Uma grande merda", cravou o vocalista Thedy Corrêa, do Nenhum de Nós, sobre a morte de David Bowie (1947-2016). "Toda nossa história foi marcada por ele, pela presença e pela referência dele."
Em entrevista à revista "Rolling Stone Brasil", o músico falou sobre a influência do ídolo, que ajudou a popularizar a banda gaúcha nos anos 1980 com a faixa "O Astronauta de Mármore", versão brasileira do clássico "Starman".
"Eu não esperava que eu sentiria o que estou sentindo hoje. É muito estranho não conhecer pessoalmente uma pessoa e ela ser tão importante para ti", disse. "Quando lançamos o primeiro disco, nosso show era curto, e a primeira coisa que fizemos foi analisar nossos ídolos e procurar alguma cover", contou.
A escolha mais óbvia foi Bowie, ídolo que Corrêa descobriu aos dez anos de idade no disco "Aladdin Sane" e que marcou sua formação musical. Antes de "Starman", "Ashes to Ashes" e "China Girl" foram cotadas para compôr o repertório do Nenhum de Nós.
"Estávamos gravando o segundo o disco quando o produtor [Reinaldo Barriga] entrou no estúdio e nos viu tocando a música. Ele propôs o desafio de gravar a faixa em português para homenagear o Bowie."
Corrêa explica que o trabalho de construir a letra em português foi quase artesanal, com os membros do grupo buscando referências em outras canções de Bowie.
"Foi uma grande homenagem que fizemos como fãs", afirmou. Segundo ele, a autorização do músico britânico para o uso da música demorou -Corrêa teve de ir a Londres para liberar a versão. "Falei com uma pessoa lá - até levei um presente para ela. E ela disse que o próprio Bowie pessoalmente autorizou."
O resultado está em "Cardume", segundo disco da banda lançado em 1989. Em 1990, a turnê de Bowie o trouxe ao Brasil, onde ele fez referência a "O Astronauta de Mármore" durante show em São Paulo. "Vou tocar uma música que vocês conhecem em português", declarou antes de começar "Starman".