Entretenimento

Nova HQ de Asterix tem personagem inspirado em Julian Assange

Da Redação ·
IMAGEM - GOOGLE - entretenimento.uol.com.br
IMAGEM - GOOGLE - entretenimento.uol.com.br

DIOGO BERCITO
PARIS, FRANÇA (FOLHAPRESS) - O suspense era como aquele dos bons roteiros de quadrinhos, de querer virar logo as páginas, mas foi dissipado na manhã desta segunda-feira (12) com a divulgação dos detalhes do próximo livro da franquia milionária Asterix.
"Asterix e o Papiro de César", já em pré-venda, será publicado simultaneamente ao redor do mundo em 22 de outubro em 20 línguas. Será, assim, o 36º volume da saga -e um dos maiores eventos do universo das HQs neste ano. O anterior, "Asterix e os Pictos" (2013), vendeu 2,4 milhões de cópias na França e 4 milhões fora desse país.
O novo gibi contará a história de um livro escrito pelo imperador romano Júlio César sobre suas guerras na Gália. Uma das novidades do enredo será a presença de um repórter entre os personagens. Também haverá um novo vilão: um publicitário.
O jornalista foi inspirado em Julian Assange, fundador do WikiLeaks. "Pensamos em chamá-lo de Wikilix, que já parecia um nome gaulês, mas achamos que seria demais", afirma o roteirista Ferri durante um encontro com a imprensa em Paris.
O vilão, por sua vez, teve sua aparência baseada no publicitário francês Jacques Séguéla. Ele será um novo assessor de Júlio César.
É tradição entre os gibis de Asterix que alguns de seus personagens tenham a aparência inspirada em personalidades reais. Na edição anterior, por exemplo, o vilão escocês tinha as feições como as do ator francês Vincent Cassel (de "À Deriva").
JAVALIS
A divulgação para jornalistas de diversos veículos foi celebrada em um salão dentro da Torre Eiffel. Jornalistas se amontoavam na entrada do elevador como quem espera por um banquete de javalis.
Em um país com tradição de histórias em quadrinho como a França, lançamentos de gibis são seguidos de perto. Ainda mais quando contam com convidados como o artista Albert Uderzo, 88.
Uderzo desenhou Asterix, personagem que criou ao lado de René Goscinny, entre 1959 e 2009. Aposentado, agora supervisiona os personagens -e pede modificações no traço, se preciso. Goscinny morreu em 1977.
Hoje Asterix é desenhado por Didier Conrad a partir dos roteiros de Jean-Yves Ferri. Ambos assumiram a importante tarefa em 2013, sob intenso escrutínio do público, apegado a esse gibi.
"Estou muito feliz que encontramos dois autores para continuar o que criamos", diz Uderzo. "Não foi fácil. Muitas pessoas me pediam."
"Eles são talentosos e se encaixam ao trabalho que pedimos deles. Não é fácil. Não estão no começo da carreira deles, e é difícil seguir certas regras nessa altura."
O novo volume de Asterix, afinal, imita os anteriores no estilo de seu roteiro e de seu desenho, condição do autor e da herdeira de Goscinny.
TRADIÇÃO
Asterix é um dos grandes personagens dos gibis franco-belgas, ao lado do repórter Tintim (criado por Hergé).
Em "Asterix e o Papiro de César", os heróis Asterix e Obelix estarão de volta à Gália, depois de um passeio pela Escócia no volume anterior. Assim, vão interagir com outros dos famosos gauleses, como o druida Panoramix e o cãozinho Ideiafix.
Também estará de volta o imperador César, desta vez às voltas com seu livro sobre a guerra na Gália. "Nunca tinha pensado nisso", disse Uderzo durante o evento, diante da ideia da nova dupla. O texto escrito por César era uma das referências na criação de Asterix, mas nunca havia aparecido no gibi.

continua após publicidade