Facebook Img Logo
Mais lidas
Entretenimento

Franceses do Gojira incendeiam a plateia em aquecimento para Metallica

.

ANNA VIRGINIA BALLOUSSIER, ENVIADA ESPECIAL
RIO DE JANEIRO, RJ (FOLHAPRESS) - Primeira banda no Palco Mundo neste sábado (19), Gojira, a francesa com nome de monstrengo japonês, mostrou que a linguagem do metal é universal -e pontuada com um "fucking" (perdoem o francês deles) a cada frase.
Se o público estivesse "fucking" legal, eles tocariam "fucking" músicas como "The Axe" (o machado) e "Heaviest" (o mais pesado).
Todos pareciam de "fucking" acordo, batendo cabelo e formando no meio da plateia uma ou outra rodinha -empurrões trocados entre garotos (meninas são raridade) quando câmeras da imprensa se aproximavam, num espetáculo tão violento e espontâneo quanto luta livre ensaiada para horário nobre de TV.
No fundo, todos sabiam que Gojira era aquecimento para um público à espera do Metallica, a atividade-fim da maioria na audiência. Fizerem mais do que servir de sopa para o prato principal que ainda demoraria.
Entraram em ação às 19h05, após o costumeiro espetáculo de fogos que inicia o palco mais importante do Rock in Rio. Tinham credenciais para empolgar: já abriram shows do Metallica e seu líder, Joe Duplantier, já tocou baixo num álbum do Cavalera Conspiracy, dos irmãos Max e Iggor.
Havia referências naquele pancadão progressivo e melódico que podem ter passado despercebidas para os metaleiros.
Algumas canções vieram de "L'Enfant Sauvage" (2012), álbum com o qual o Gojira levou o metal "para um plano superior de brilhantismo", segundo o jornal inglês "The Guardian".
O título remete a um filme clássico do conterrâneo François Truffaut (1932-1984). "O disco é como um humano crescendo na natureza, criado por lobos, por exemplo, sem influência da sociedade em geral", disse Duplantier à uma revista sueca de metal, em 2012.
A preocupação com o meio ambiente é um fator no mínimo curioso para um estilo associado a vísceras, caveiras e rock mais pesado que bigorna da Acme. Sim, o Gojira quer salvar baleias. Literalmente.
Os franceses têm músicas como "Global Warming" (aquecimento global). Não dá para dizer que fizeram a parte deles nesta noite: definitivamente, incendiaram a plateia. "Fucking" ponto para eles.




O portal TNOnline.com.br não se responsabiliza pelos comentários, opiniões, depoimentos, mensagens ou qualquer outro tipo de conteúdo. Seu comentário passará por um filtro de moderação. O portal TNOnline.com.br não se obriga a publicar caso não esteja de acordo com a política de privacidade do site. Leia aqui o termo de uso e responsabilidade.

mais notícias

Últimas de Entretenimento

×

Newsletter

Conteúdo direto para você:

Quero Receber