Entretenimento

Cientistas dizem que ETs enviam 'twittadas'

Da Redação ·
 Dois irmãos cientistas dizem que seus colegas podem estar ouvindo os sinais errados em busca de vida extraterrestre
fonte: googleimagens.com
Dois irmãos cientistas dizem que seus colegas podem estar ouvindo os sinais errados em busca de vida extraterrestre

Cientistas americanos dizem que os alienígenas podem usar ema espécie de Twitter para mandar mensagens para a Terra. Os ETs estariam mandando twittadas cósmicas há décadas, mas nós as estaríamos perdendo.

continua após publicidade

Embora nenhuma dessas mensagens perdidas no espaço não sejam restritas a 140 caracteres, como acontece no microblog, um estudo sugere que os ETs estejam mandando mensagens curtas e diretas em vez de sinais contínuos irradiados para todos os lados porque civilizações alienígenas tendem a evitar o desperdício e tornar sua tecnologia de sinalização eficiente.

continua após publicidade

Segundo Gregory Benford, astrofísico da Universidade da Califórnia, nos Estados Unidos, “qualquer que seja a forma de vida, a evolução prefere a economia de recursos”.

continua após publicidade

- A transmissão de sinais através de anos-luz exige recursos consideráveis.

Gregory e seu irmão, o físico James Benford, estudaram a busca por outras formas de vida a partir do ponto de vista dos alienígenas.
Eles concluíram que os cientistas envolvidos no SETI (sigla em inglês para Busca Americana por Vida Extra-Terrestre), podem estar usando uma abordagem errada há cinco décadas.

continua após publicidade

Em um artigo publicado na revista científica Astrobiologia, os irmãos Benford disseram que os sinais ETs não seriam irradiados em todas as direções, mas direcionados em uma faixa de frequência entre um e 10 gigahertz.

continua após publicidade

Segundo os cientistas, as buscas feitas pelo SETI são como um farol que varre o plano galático, mas que pode fazer com que vários dias de twittadas dizendo “nós estamos aqui” acabem passando despercebidas.

Os irmãos acrescentaram que os cientistas do SETI podem estar olhando no lugar errado. Segundo os irmãos, seus colegas deveriam focar sua busca no centro da galáxia no lugar da escuta de toques sonoros incomuns em estrelas próximas.