Entretenimento

'Nossa montagem é mais passional', diz Jarbas de Mello sobre 'Chaplin'

Da Redação ·
'Nossa montagem é mais passional', diz Jarbas de Mello sobre 'Chaplin' - Imagem: renunciamiento.net16.net
'Nossa montagem é mais passional', diz Jarbas de Mello sobre 'Chaplin' - Imagem: renunciamiento.net16.net

BIANCA SOARES
SÃO PAULO, SP (FOLHAPRESS) - As calças largas e os sapatos grandes que se contrapunham ao paletó justo de Carlitos, o Vagabundo, personagem de maior sucesso de Charles Chaplin, diziam muito sobre a contradição que foi a vida do ator. E é essa história conturbada que "Chaplin, o Musical" oferece ao público.

Depois de uma curta temporada no Rio, o espetáculo, que já foi visto por mais de 55 mil pessoas, retorna a São Paulo no teatro Procópio Ferreira, onde permanece até o dia 18 de outubro.  "Estar de volta é como receber o carimbo de qualidade", afirma Jarbas Homem de Mello, indicado ao prêmio Bibi Ferreira-2015 por sua atuação como Chaplin. "As pessoas conhecem seus personagens, mas sabem muito pouco sobre a trajetória e a personalidade desse gênio".

Para viver o cineasta inglês, Jarbas passou por cinco meses de preparação, que incluiu aulas de circo, patinação e violino. "Vi todos os filmes de Chaplin, mas também precisava descobrir como aquele corpo funcionava, porque ele tinha muitas habilidades", diz.

É no palco cujo cenário imita um grande estúdio de filmagens que o espectador acompanha o surgimento do ícone do cinema. "Começo com um Charles de 12 anos e só lá na frente, com 24, que aparece o Carlitos e faço o personagem do personagem", conta.

"Acho que o grande chamariz da peça é o próprio Chaplin, mas a produção também está impecável. Até trouxemos uma bengala caríssima de Londres", comenta. O apetrecho, feito de bambu chinês, é uma réplica idêntica a que Carlitos usava. "Com ela, consigo a flexibilidade necessária para reproduzir aquele andado".

O musical, que teve uma breve passagem na Broadway em 2012, recebeu ajustes de texto e ganhou cinco músicas inéditas para a estreia em São Paulo. Para o ator, a montagem brasileira "é mais passional". "Eles [os norte-americanos] são perfeitos tecnicamente, mas acho que falta sangue na veia, isso que nós, latinos, carregamos no dia a dia", completa.

Após passar por Rio e São Paulo, Jarbas destaca a diferença entre os públicos: "são maneiras diferentes de receber a mesma história. O carioca sai de casa para se divertir, é muito espontâneo, já o paulista se preocupa mais com as nuances do personagem e viaja na história".

O elenco da peça reúne nomes como Marcello Antony, Paulo Goulart Filho, Paula Capovilla, Leandro Luna e Marcos Lanza.

CHAPLIN, O MUSICAL

continua após publicidade

QUANDO: qui. e sex., às 21h; Sab., às 18h e às 21h30, dom., às 18h; de 05/09 a 18/10
ONDE: Teatro Procópio Ferreira (rua Augusta, 2823 - Cerqueira César, SP)
QUANTO: R$ 50 A R$ 200
CLASSIFICAÇÃO: Livre