Entretenimento

Em prisão domiciliar, ex-baterista do AC/DC quer o emprego de volta

Da Redação ·
Em prisão domiciliar, ex-baterista do AC/DC quer o emprego de volta - Foto: www1.folha.uol.com.br
Em prisão domiciliar, ex-baterista do AC/DC quer o emprego de volta - Foto: www1.folha.uol.com.br

SÃO PAULO, SP (FOLHAPRESS) - Phil Rudd, baterista do AC/DC entre 1975 e 1983 e de 1994 a 2015, quer voltar à banda. O músico australiano foi condenado em abril a oito meses de prisão domiciliar por ameaçar matar um ex-funcionário e porte ilegal de drogas.

Segundo o britânico "The Guardian", Rudd disse em entrevista ao canal australiano TV3 que nunca esteve em melhor forma ou se sentiu melhor: "Eu vou voltar. Nunca estive em melhor forma psicológica ou física na minha vida. Estou determinado a conseguir meu emprego de volta, voltar à estrada e ganhar muito dinheiro".

Não é a primeira vez que ele expressa o desejo de voltar para a banda. Em dezembro do ano passado, ele afirmou ao site TMZ que recuperaria seu trabalho e sua reputação.

Phil Rudd afirmou receber tratamento para ansiedade, depressão e "outras inseguranças". O músico recorreu da sentença. Na última segunda-feira (3), Rudd voltou à corte sob a acusação de ter violado os termos de sua prisão domiciliar ao consumir bebidas alcoólicas, que ele nega.

O AC/DC está no meio da turnê "Rock or Burst" com o baterista Chris Slade (que tocou com o grupo de 1989 a 1994) no lugar de Rudd. O grupo afirmou anteriormente que o arranjo se mantém até dezembro.
Phil Rudd disse achar Slade um bom músico, mas não saber o que ele faz lá. "Acredite em mim, eu sei o que estou dizendo. Não tenho nada contra Chris, só espero que ele não tenha um emprego permanente."

Ele afirmou acreditar que a turnê de despedida do AC/DC não será a última. "O AC/DC nunca se aposentará. Angus [Young] nunca se aposentará."

continua após publicidade