Entretenimento

​Rafael Ilha vai à delegacia registrar B.O e acaba preso mais uma vez em SP

Da Redação ·
Reprodução Rede Record
Reprodução Rede Record

O ex-cantor Rafael Ilha foi preso nesta segunda-feira (25) quando procurou a 4ª Divecar (Departamento Estadual de Investigações Criminais), em São Paulo, para registrar um boletim de ocorrência por conta de uma placa do seu carro que foi clonada, Segundo Rafael. No local, ele foi informado que havia um mandado de prisão em aberto. 

continua após publicidade

Ele respondia pela condenação de sequestro e formação de quadrilha, em 2005, mas nunca mais compareceu no fórum em audiências marcadas. Rafael foi condenado à pena alternativa, mas alega que mudou de endereço e não foi mais comunicado sobre as audiências. 

— Clonaram a placa do meu carro e vim verificar o que aconteceu e acabei descobrindo que saiu um mandado de prisão de um resgate de uma menina. Eu havia sido condenado para cumprir a pena no semi-aberto, mas como mudei de endereço, não recebi a intimação; foi só uma falta de comunicação, meu advogado já está resolvendo o assunto. 

continua após publicidade

O delegado João Renato afirma que Rafael foi levado à delegacia depois de ser parado em uma blitz e averiguado que existiam restrições no carro em que ele dirigia. O ex-cantor vai passar a noite na delegacia e na terça-feira (26) será encaminhado à Vara de Execuções Penais. 

Esta é a oitava vez que Rafael Ilha é preso. Seu primeiro crime foi em 1998 por assaltar em um cruzamento de São Paulo para comprar e consumir drogas. Menos de um ano depois, o ex-músico foi flagrado dirigindo uma moto na contramão e levado novamente para a cadeia.

O vício em cocaína abriu caminho para o tráfico de drogas, o que rendeu mais duas prisões no histórico do ex-Polegar. Em 2000, novas polêmicas para o currículo: Rafael Ilha sofreu uma crise de abstinência e engoliu três esqueiros, uma pilha e uma caneta. Meses depois precisou passar por uma cirurgia de emergência após engolir outras duas pilhas.

continua após publicidade

A primeira prisão por porte ilegal de arma foi em 2005, quando estava com um revólver calíbre 380 de numeração raspada.

O ex-cantor buscou tratamento diversas vezes em centros de reabilitação para usuários de drogas e, em 2005, abriu seu próprio centro de atendimento e contabilizou sua sexta passagem pela cadeia. Ilha foi indiciado por sequestro e formação de quadrilha ao tentar forçar uma mulher a se internar na sua clínica para dependentes químicos.