Entretenimento

​Carlos Alberto lembra que Loredo ia receber oxigênio e voltava para gravar

Da Redação ·
Foto: Divulgação
Foto: Divulgação

Carlos Alberto de Nóbrega lamentou, por meio de nota oficial, a morte de Jorge Loredo, que aconteceu na manhã desta quinta-feira (26) no Rio de Janeiro (RJ), após falência múltipla de órgãos em decorrência de um problema no pulmão. Os dois humoristas trabalhavam juntos no programa "A Praça é Nossa", exibido pelo SBT, no qual o ator interpretava o personagem Zé Bonitinho.

continua após publicidade

"Para mim, Jorge Loredo foi um colega de trabalho exemplar, pois mesmo doente, ele  chegava ao SBT, ia até o ambulatório para receber oxigênio e, assim que podia, fazia sua gravação", explicou Carlos Alberto, ao falar sobre o amigo. "Depois, retornava ao ambulatório para mais uma sessão de oxigênio e em seguida voltava ao Rio de Janeiro aonde residia".

Segundo o apresentador de "A Praça é Nossa", a equipe respeitava tal atitude porque essa era a vontade do ator. "Loredo irá nos fazer muito falta", encerrou Carlos Alberto, emocionado. O SBT também lamentou a perda do ator. O corpo de Loredo será cremado no Memorial do Carmo, na zona portuária do Rio, e a cerimônia está marcada para às 15h desta sexta-feira.

continua após publicidade

Homenagens A notícia da morte do humorista Jorge Loredo, de 89 anos, na manhã desta quinta-feira (26), sensibilizou fãs e famosos. Os humoristas Carioca, do "Pânico", Marcos Veras e Sergio Mallandro prestaram suas homenagens.

"Morre Jorge Loredo, mas fica Zé Bonitinho... Muito obrigado pelos anos de dedicação a um trabalho tão difícil que é o da comédia", disse Carioca, reverenciando a carreira de Loredo em programas e shows humorísticos.

Marcos Veras, ator e comediante, falou do colega no programa "Encontro", da Globo. "O Zé Bonitinho é o galã que ultrapassou gerações. Foi um dos primeiros humoristas a trabalhar com elementos exagerados, como o pente. Era um ator incrível [também]. É o cara que vai ficar na memória da galera, dos comediantes."