Entretenimento

​Cacik Jonne, ex-Chiclete com Banana, sofre com doença no cérebro que prejudica a fala

Da Redação ·
Imagem ilustrativa da notícia ​Cacik Jonne, ex-Chiclete com Banana, sofre com doença no cérebro que prejudica a fala
​Cacik Jonne, ex-Chiclete com Banana, sofre com doença no cérebro que prejudica a fala

O Carnaval e o axé estão sempre associados à alegria. Mas para Cacik Jonne, ex-guitarrista do Chiclete com Banana, os últimos 14 anos têm sido de muito sofrimento. O músico fez parte da banda por duas décadas, mas está afastado desde 2001, quando descobriu ser portador de ataxia cerebelar, uma inflamação do cerebelo que pode ser causada pelo abuso de álcool ou drogas, severa infecção viral ou anomalia congênita.

continua após publicidade

A doença é degenerativa e causa falta de coordenação motora, além de afetar a força muscular, o equilíbrio e a fala. Essa condição fez com que Jonne se afastasse da guitarra e do baixo, instrumentos que alternava no grupo de axé.

Hoje, o músico só se locomove com apoio de outra pessoa ou cadeira de rodas, fala com muita dificuldade e adquiriu problemas de visão.

continua após publicidade

João Fernandes da Silva Filho, o Cacik Jonne, ingressou em 2002 com duas ações cíveis (na 23ª Vara Cível de Salvador) e uma trabalhista contra o Chiclete, mas perdeu. O músico exigia pagamento de R$ 1 milhão pelos 20 anos de serviços prestados e participação nos lucros.

Mesmo com a derrota na Justiça, Jonne voltou a receber uma ajuda de R$ 3 mil por mês a partir de 2010. Mas esse auxílio foi interrompido em setembro de 2014.

Wadinho Marques, tecladista do Chiclete, diz que resolveu interromper a ajuda a Cacik ao receber denuncia de uma fã do músico dizendo que o dinheiro estaria sendo usado por Beto Fontes em benefício próprio.

continua após publicidade

— Ela foi visitá-lo e soube disso. Foi Jonne quem pediu para a presidente do fã-clube me avisar da situação. Paramos de depositar essa quantia e vamos investigar o que aconteceu. Nossos representantes procuraram por ele para esclarecer esse tema. Sempre ajudamos sem ser obrigados, pois ele foi nosso parceiro no grupo. Temos recibos dos depósitos para provar.

Sem a ajuda, o músico atualmente vive apenas com a aposentadoria e apoio de amigos, que são esporádicos.

Confira matéria completa AQUI