Entretenimento

Cantor e compositor Zé Ramalho completa 65 anos nesta sexta-feira

Da Redação ·
Zé Ramalho completa 65 anos nesta sexta-feira - Crédito da foto: www.kboing.com.br
Zé Ramalho completa 65 anos nesta sexta-feira - Crédito da foto: www.kboing.com.br

O compositor Zé Ramalho completa 65 anos nesta sexta-feira (3). Com 28 álbuns lançados em 40 anos de carreira, Chão de Giz, composição do primeiro álbum da discografia oficial Zé Ramalho (1978) é a música mais tocada do artista nos últimos quatro anos segundo levantamento divulgado pelo Ecad (Escritório Central de Arrecadação e Distribuição). 

Entre as músicas mais tocadas nesse intervalo de tempo, segundo o Ecad, a maior parte faz parte de seus dois primeiros trabalhos: Zé Ramalho (1978) e A Peleja do Diabo com o Dono do Céu (1979).

Além de Chão de Giz, aparecem entre as mais tocadas e mais regravadas do primeiro disco as músicas Vila do Sossego e Avôhai, composição que Zé Ramalho fez em homenagem a seu avô, por quem foi criado depois que seu pai morreu afogado em um açude do sertão da Paraíba, onde Ramalho nasceu.

Já do segundo disco aparecem Frevo Mulher, música mais regravada do compositor, seguida de Garoto de Aluguel e Admirável Gado Novo, músicas que também aparecem na lista das mais tocadas.

Confira as músicas mais tocadas de Zé Ramalho segundo o Ecad:

Período de captação: 2010 a 2014

1 – Chão de giz (Zé Ramalho)

continua após publicidade

2 – Frevo mulher (Zé Ramalho)
3 – Garoto de aluguel (Zé Ramalho)
4 – Admirável gado novo (Zé Ramalho)
5 – Avôhai (Zé Ramalho)
6 – Táxi lunar (Alceu Valença / Geraldo Azevedo / Zé Ramalho)
7 – Vila do sossego (Zé Ramalho)
8 – Eternas ondas (Zé Ramalho)
9 – Banquete de signos (Zé Ramalho)
10 – A terceira lâmina (Zé Ramalho)



As 10 obras mais regravadas de Zé Ramalho

1 – Frevo mulher

2 – Garoto de aluguel
3 – Admirável gado novo
4 – Chão de giz
5 – Táxi Lunar
6 – Avôhai
7 – Mulher nova, bonita e carinhosa faz o homem gemer sem sentir dor
8 – Galope rasante
9 – Vila do sossego
10 – Eternas ondas


Biografia

José Ramalho Neto, nome de bastismo do músico,  filho da professora primária Torres Ramalho e do seresteiro Antônio de Pádua Pordeus Ramalho, nasceu em Brejo do Cruz (PB), onde viveu até os dois anos de idade. Foi na capital João Pessoa que Zé Ramalho deu os primeiros passos de sua carreira musical, tocando em conjuntos de baile da Jovem Guarda entre a década de 60 e o início da década de 70. Sua trajetória como compositor começa no ano de 1974, com a participação na trilha sonora do filme Nordeste: Cordel, Repente e Canção da cineasta Tânia Quaresma e a gravação de seu primeiro álbum de estúdio Paêbirú: Caminho da Montanha do Sol.

Gravado de outubro a dezembro daquele ano por Lula Côrtes e Zé Ramalho, nos estúdios da gravadora recifense Rozemblit, se tornou o disco mais valorizado no mercado da música brasileira. O álbum foi lançado originalmente em 1975, com uma prensagem de 1.300 cópias, e a maior parte delas foi levada por uma enchente que atingiu o Recife naquele ano, assim com a fita com a gravação original. As 300 cópias que não foram afetadas pelo acidente são hoje as mais disputadas no mercado de discos de vinil do país: um exemplar bem conservado chega a custar R$ 4 mil.

continua após publicidade


Fonte: Leandro Melito - www.ebc.com.br