Entretenimento

Jayme Matarazzo conta que não pensava que seria ator

Da Redação ·
 Jayme Matarazzo
fonte: Reprodução
Jayme Matarazzo

Lançar-se como protagonista de novela não abalou o jeitão tranquilo de Jayme Matarazzo. O ator demonstra segurança e calma quando fala sobre seu mais novo trabalho na televisão. Filho do diretor Jayme Monjardim, o intérprete de Daniel em "Escrito nas Estrelas" cresceu em meio aos sets de gravações.

continua após publicidade

Matarazzo cursava faculdade de Cinema quando recebeu o convite de Manoel Carlos (autor da minissérie "Maysa – Quando Fala Um Coração", que contava a história de sua avó) para participar da trama. "Não sei de onde ele tirou essa ideia maluca de eu interpretar meu pai. Não me sentia preparado, nem à vontade na frente das câmaras", confessa. Mas o jovem paulistano de 24 anos não apenas atuou como foi assistente de direção.

"Depois que terminei de gravar, achei que voltaria para minha faculdade. Não tinha nenhuma pretensão de ser ator. Fiz porque era um projeto diferenciado", explica. Até que, poucos dias depois, foi convidado para viver Paulo, um dos papéis principais do longa "A Suprema Felicidade", de Arnaldo Jabor. "Aprendi muito. Foi quando me senti confiante e preparado para fazer novela", ressalta ele, que contracenou com atores experientes como Marco Nanini, Dan Stulbach e Elke Maravilha.

continua após publicidade

Para compensar a falta de vivência, Jayme passou a estudar e a observar os colegas de profissão. Em Daniel, seu primeiro papel em novela, ele pretende focar mais na interpretação, mas sem deixar os bastidores de lado.

Diferentemente de muitos atores que levam algum tempo para conquistar um papel de destaque em um folhetim, a recente trajetória de Jayme fluiu em ritmo acelerado.

No ar como o espírito do estudante de Medicina que volta para o mundo terreno para proteger Viviane, vivida por Nathália Dill, Jayme não demonstra preocupação com a responsabilidade de representar um dos personagens principais da trama de Elizabeth Jhin. "É diferente quando não se está em um ambiente familiar. Não é um universo desconhecido, é só uma outra função", conta.

continua após publicidade

Para o ator, sua familiaridade com o meio o mantém com o pé no chão e sem deslumbres em relação ao mundo da fama e ao assédio que a televisão traz. "Sei o quanto a carreira pode modificar o nosso dia a dia, mas estou mais preocupado em fazer um bom trabalho. Cada um faz o seu caminho e trilha o que quer", diz.

A maior novidade para Jayme é o tema central da trama das seis. Para compor seu personagem, ele teve de estudar o espiritismo, crença que desconhecia totalmente. "Tive uma série de conversas com estudiosos do assunto e fiz visitas a centros espíritas. Isso me ajudou a mergulhar nesse universo", conta o ator, que passou a nutrir certa admiração pela doutrina.

"Mesmo não seguindo o espiritismo, dá para tirar muitas coisas boas sobre o jeito de viver. É uma religião que condena menos. É muito leve e bonita", analisa.