Entretenimento

Games de música estão prontos para revolução da dança

Da Redação ·
 Projeto Natal, da Microsoft, vai gerar aparelho que reconhece os gestos e movimentos de todo o corpo do usuário como forma de controlar game
fonte: Do R7
Projeto Natal, da Microsoft, vai gerar aparelho que reconhece os gestos e movimentos de todo o corpo do usuário como forma de controlar game

Os jogos de música, que fazem com que usuários cantem e toquem instrumentos musicais, estão prontos a fechar um ciclo e partir para a fase de exigir que os usuários arrisquem passos de dança, usando sensores especiais.

continua após publicidade

A Microsoft planeja levar às lojas o sistema Project Natal em tempo para a temporada de festas de fim de ano. O aparelho é uma câmera que reconhece os gestos e movimentos de todo o corpo do usuário como forma de controlar um videogame. O Move, da Sony, anunciado na Game Developers Conference, em março, é mais parecido com o sistema do Nintendo Wii, com um controlador que o usuário segura nas mãos, um sensor que rastreia os movimentos e uma câmera que projeta tudo isso para o jogo.

continua após publicidade

Diversas produtoras de videogame, entre as quais a Harmonix, criadora da série Rock Band, devem lançar jogos que utilizam esses novos controladores de captura de movimentos ainda este ano, se bem que a maioria dos títulos não deve chegar ao mercado antes de 2011. Fontes dizem que as produtoras podem lançar alguns desses títulos na conferência de videogames E3, em junho.

continua após publicidade

Os jogos que tomam a dança como base terão presença forte nesses lançamentos e devem oferecer um estímulo muito necessário ao segmento de jogos de música.

As vendas da categoria despencaram nos 12 últimos meses, com a queda do interesse pelas séries Guitar Hero e Rock Band. O problema, de acordo com Jesse Divnich, vice-presidente de serviços de análise da consultoria Electronic Entertainment Design and Research, é que, apesar de um grande volume de lançamentos de games, não houve inovações nos recursos do gênero. E o conteúdo, diz Divnich, só é capaz de sustentar uma série durante algum tempo.