Entretenimento

Artistas fazem sucesso misturando beatbox com o som do violino

Da Redação ·
 JVB, já se apresentou no Domingão do Faustão, no quadro “Se vira nos 30”, da Rede Globo, e recentemente fez parte do elenco do programa Got Talent Brasil, da Record
fonte: divulgação
JVB, já se apresentou no Domingão do Faustão, no quadro “Se vira nos 30”, da Rede Globo, e recentemente fez parte do elenco do programa Got Talent Brasil, da Record

O apucaranense Carlos Lima Santos, mais conhecido como Buiu, desde a infância sempre chamou atenção pelos sons que fazia com a boca. Aos 25 anos, o jovem faz da brincadeira de criança seu ofício ao lado do violinista Willian da Silva Nunes, 23, de Curitiba. A dupla, um tanto inusitada, que atualmente mora no Rio de Janeiro, chama atenção na cena cultural da Cidade Maravilhosa e nos programas de televisão pelo jeito que conseguem unir a percussão vocal do hip hop, conhecida como beatbox, com os acordes do violino.

A dupla, que passou a se chamar JVB, já se apresentou no Domingão do Faustão, no quadro “Se vira nos 30”, da Rede Globo, e recentemente fez parte do elenco do programa Got Talent Brasil, da Record, comandado por Rafael Cortez. Os amigos se inscreveram no reality show, que teve mais 100 mil artistas participantes, e conseguiram ficar entre os 48 finalistas. “Chegamos a semifinal, com mais três pessoas, mas infelizmente não foi desta vez”, diz o apucaranense, que quando estava na Cidade Alta se apresentava nas principais casas noturnas da cidade.

Buiu, filho de Raimunda Lima Santos e José Oliveira Santos, deixou o emprego de serígrafo em uma fábrica de boné na cidade em 2011 e seguiu para Curitiba. Na bagagem, ele levava também o sonho de fazer sucesso com sua arte. Assim que chegou à capital paranaense, ele participou de um concurso de beatbox. “Participei por acaso e acabei ganhando”, recorda.
Seis meses depois, Carlos conheceu o violinista Willian da Silva Nunes, 23 anos. A partir deste dia os dois começaram uma parceria: ele no beat box e o amigo no violino. A mescla de estilos resultou na dupla JVB, que toca música erudita e popular. Um tempo depois, Buiu e Willian seguiram rumo ao Rio de Janeiro para tentar carreira em solo carioca. Os dois começaram a se apresentar em vários bairros da cidade e foi assim que começou a surgir oportunidades, como a gravação do primeiro CD da dupla.

“Conhecemos José Assunção, um radialista local que nos ajudou na gravação do disco, intitulado JVB”, conta Buiu, casado com a carioca Luana Capaverde Nardelli, 33, também produtora e empresária da dupla.

O segundo álbum da dupla, lançado em 2012, chama-se JVB - O som da alma, e seguiu um trajeto diferente. Willian acabou montando um estúdio em sua casa no Rio e o segundo álbum foi feito nele.

Nesses dois anos de estrada, a dupla manteve contato com Marcelo D2 e banda Charlie Brown Jr. “Em um DVD, o Chorão, vocalista do Charlie Brown Jr (que morreu no início de março), mandou um alô para a JVB. Foi muito emocionante”, ressalta o apucaranense.

O novo projeto de Buiu e Willian é um DVD, previsto para ser lançado até o final de 2013. “Nele devem ser gravadas músicas de Beethoven e outros clássicos com novos arranjos produzidos por nós”, conclui o jovem.

continua após publicidade