Entretenimento

Cientistas ensinam gatos a deixar de comer sapos

Da Redação ·
 Gatos-marsupiais aprenderam a evitar os sapos-cururus; ideia é usar técnica com iguanas e lagartos de língua azul, que comem esse tipo de anfíbio
fonte: Foto por Wikimedia
Gatos-marsupiais aprenderam a evitar os sapos-cururus; ideia é usar técnica com iguanas e lagartos de língua azul, que comem esse tipo de anfíbio

Cientistas australianos anunciaram, nesta quarta-feira (14), ter ensinado os gatos-marsupiais a evitar a ingestão dos venenosos sapos-cururus, uma medida que deverá ajudar outras espécies ameaçadas de extinção a sobreviver.

continua após publicidade

Os marsupiais são uma subclasse dos mamíferos em que a fêmea possui uma bolsa no abdômen - o gato-marsupial, o gambá e o diabo-da-tasmânia são alguns dos mais conhecidos.

continua após publicidade

Ecologistas da Universidade de Sidney conseguiram treinar o gato-marsupial (Dasyurus hallucatus) a eliminar seus instintos e a se recusar a comer os anfíbios invasores, que viraram praga em várias partes da Austrália.

continua após publicidade

A ingestão desta espécie de sapo é fatal para os marsupiais. Mas os cientistas fizeram com que eles deixassem de se alimentar destes animais na natureza, oferecendo, em troca, sapos pequenos salpicados com um produto químico enjoativo.

A Austrália sofre com a praga de milhões de sapos-cururus, dotados de uma bolsa de veneno em suas cabeças, tóxica o suficiente para matar cobras e crocodilos. Os sapos foram introduzidos nos anos 1930 para controlar a população de besouros, explicou o cientista Jonathan Webb.