Entretenimento

Conheça o significado da Quarta-feira de Cinzas

Da Redação ·
Imagem ilustrativa da notícia Conheça o significado da Quarta-feira de Cinzas
fonte: divulgação
Conheça o significado da Quarta-feira de Cinzas
continua após publicidade

A Quarta-feira de Cinzas, que dá início ao período da quaresma, ocorre após o carnaval e termina no Domingo de Ramos. Missas são realizadas neste dia, onde os fiéis são abençoados com cinzas pelo padre que preside a cerimônia.

A cinza, que o católico recebe na testa em forma de cruz, simboliza o dever de conversão e de mudança da vida pecaminosa que está cada vez mais absorvendo a humanidade. No momento do ato religioso, o sacerdote fala o seguinte: “Lembra-te que és pó e que ao pó voltarás ou Convertei-vos e crede no Evangelho.”

Realmente essas palavras pronunciadas pelos sacerdotes, enquadram-se em Gênesis 18,27 quando Abraão diz: “Sou bem atrevido em falar a meu Senhor, eu que sou pó e cinza.” Já em Daniel 9,3, ele resume todos os requisitos desta data quando fala: “Voltei o rosto para o Senhor Deus, procurando dirigir-lhes preces e súplicas, observando jejum, vestindo de saco e sentado nas cinzas.”

Em outras passagens bíblicas, há inúmeras referencias de servos do Senhor, usando cinzas como símbolo de arrependimento ou sofrimento.

As cinzas utilizadas para a conversão são frutos das palmas bentas do Domingo de Ramos do ano anterior, que geralmente são queimadas na quaresma para o rito das cinzas. Outro fator significativo desta época é o jejum e abstinência da carne. Uns deixam de consumi-la só na Quinta e Sexta-feira Santa, optando por pescados e outras iguarias.

No Evangelho de Mateus 6,16-18, Jesus dá um parecer muito interessante sobre o jejum.

ELE diz: “Quando jejuardes, não fiqueis triste como os hipócritas, que se desfiguram o rosto para os homens verem que estão jejuando. E sim, quando jejuares lava o rosto e põe perfume na cabeça, para os homens não perceberem que estás jejuando, assim o Pai, que tudo vê, te darás à recompensa. "

Também outro fator predominante neste período, são os tons arroxeados usados nas vestimentas dos sacerdotes. Algumas igrejas vedam as imagens dos santos com tecidos dessa tonalidade, a fim de lembrar a tristeza e a dor da Paixão de Cristo.

Portanto, neste momento de transição, em que a humanidade está cada vez mais a mercê dos decaídos, procuremos nos unir na força e no poder de Deus, revestidos da sua armadura para poder resistir às insídias do maligno. Devemos sempre estar em alerta, cingidos com a verdade, o corpo revestido com a couraça da justiça e os pés calçados prontos para anunciar o Evangelho da Paz em Cristo. Efésios 6,10. Bíblia.