Entretenimento

Estreia novo filme de Denzel Washington

Da Redação ·
Tobin Frost (Denzel Washington) foi um agente talentoso que traiu o governo
fonte: Divulgação - redebomdia.com.br
Tobin Frost (Denzel Washington) foi um agente talentoso que traiu o governo

No longa “Protegendo o Inimigo”, que estreia nesta sexta nos cinemas, o oficial de inteligência da CIA Matt Weston (Ryan Reynolds) não está satisfeito com seu trabalho. Apesar de ter sido treinado para missões, ele é apenas o vigia de uma “casa segura”, esconderijo que a agência usa para manter prisioneiros e agentes. Depois de tentar, sem sorte, partir para trabalhos em campo, Matt é surpreendido quando um lendário ex-espião é levado até seu esconderijo.

continua após publicidade

Tobin Frost (Denzel Washington) foi um agente talentoso que traiu o governo americano e, há mais de dez anos, vive na clandestinidade como traficante de informações secretas. O plano da agência é levá-lo para interrogatório, mas o que ele sabe pode colocar em risco pessoas muito poderosas. Isso faz de Toby um homem marcado para morrer.

continua após publicidade

Quando um grupo armado invade a casa segura em busca do prisioneiro e mata todos os agentes, Matt se vê na obrigação de proteger o traidor. Sem ter para onde ir, ele precisa desaparecer até que seja seguro deslocar-se para um outro local. Assim, o jovem oficial, que não tem nenhuma experiência como agente, ganha o dever de manter seguro um dos fugitivos mais inteligentes e perigosos dos EUA e impedir que ele fuja.

continua após publicidade

Matt  começa a desconfiar de que alguém da própria CIA está fornecendo informações para o inimigo quando sua localização é descoberta pelo grupo que tenta aniquilar Toby. Sem poder confiar em ninguém, o jovem se vê obrigado a decidir sozinho qual será o próximo passo nessa missão suicida. As preocupações aumentam quando sua namorada, Ana (Nora Arnezeder), que nada sabe sobre a profissão perigosa de Matt, começa a correr perigo.

Para quem estava com saudades de Denzel Washington, sumido das telonas desde “O Livro de Eli” (2010), o filme é um prato cheio. O talento do ator supera as falhas de Reynolds e os dois formam uma boa dupla. Tecnicamente bem feito, o filme não perde o ritmo, mas deve muito no roteiro, recheado de clichês. Mesmo sem agradar a crítica, com 54% de aprovação, de acordo com o site especializado Rotten Tomatoes, 70% do público aprovou e o filme fez bonito na bilheteria americana.