Economia

UE garante estar preparada para lidar com impacto de crise na Ucrânia sobre gás

Da Redação ·

A presidente da Comissão Europeia, Ursula Von der Leyen, garantiu, nesta quarta-feira, que a Europa está preparada para lidar com o impacto da crise geopolítica na Ucrânia na oferta de energia, enquanto a Rússia restringe o fornecimento de gás natural.

continua após publicidade

Em discurso no plenário do Parlamento Europeu, Von der Leyen afirmou estar em contato com vários países para que eles aumentem as exportações da commodity à União Europeia (UE). "Em um momento de alta demanda, a Gazprom está restringindo seu fornecimento de gás para a Europa", disse. "Esse comportamento já prejudicou a credibilidade da Rússia como fornecedor confiável de energia", acrescentou.

A líder da Comissão disse ainda que, desde a anexação da Crimeia pela Rússia, em 2014, a UE tem buscado reduzir a dependência do gás natural russo e defendeu que esses esforços devem continuar. "Uma das lições que já podemos tirar desta crise é que devemos diversificar nossas fontes de energia, para nos livrarmos da dependência do gás russo e investir fortemente em fontes de energia renováveis", argumentou.

continua após publicidade

Von der Leyen reiterou o apoio do bloco europeu à soberania da Ucrânia e assegurou que os aliados ocidentais estão unidos na defesa contra a ameaça russa. Segundo ela, uma eventual invasão encontraria uma resposta "rápida e robusta" da Europa, que incluiria sanções ao setor de tecnologia.

A política explicou que os líderes russos querem diversificar sua economia. "Mas, para isso, precisam de tecnologias nas quais temos uma liderança global. Componentes de alta tecnologia para os quais a Rússia depende quase inteiramente de nós. Nossas sanções podem ser muito duras, e o Kremlin sabe muito bem disso", destacou.