Economia

Temor é de que divergência de política monetária impacte emergentes, diz FMI

Da Redação ·

A diretora-gerente do Fundo Monetário Internacional (FMI), Kristalina Georgieva, disse neste domingo que está preocupada com um possível aperto das condições financeiras nos mercados emergentes. Durante o seminário anual do G30, realizado de forma virtual, ela ressaltou que a alta da inflação tem levado os formuladores de políticas a elevar os juros nos países em desenvolvimento.

continua após publicidade

Ao mesmo tempo, segundo Georgieva, o consenso é de que as pressões inflacionárias vistas nas economias desenvolvidas ainda são transitórias, o que permite aos bancos centrais desses países adiarem a normalização da política monetária. Se esse diferencial de juros se mantiver, disse a chefe do FMI, os emergentes serão impactados. Em geral, em um cenário como esse, há saída de capital desses países.

Durante seu discurso no evento, Georgieva disse que a recuperação econômica continua, mas perdeu impulso em algumas partes do mundo. "A nossa maior preocupação é com o fato de que essa retomada é desigual e há incertezas", afirmou. Segundo a diretora-gerente do FMI, essa desigualdade é causada pela falta de acesso a vacinas contra a covid-19 em regiões mais pobres.