Economia

Taxas futuras de juros recuam com desaceleração do IPCA-15 e alívio no exterior

Da Redação ·

Os juros futuros começaram esta terça-feira (25) em baixa, com curtos reagindo ao IPCA-15 de maio com alta de 0,44%, de 0,60% em abril e perto do piso das estimativas do Estadão/Broadcast (0,43%). A taxa em 12 meses ficou em 7,27%. As projeções iam de avanço de 7,19% a 7,43%, com mediana de 7,37%. Além disso, ajudam no alívio dos longos o dólar em baixa ante o real e outras moedas e o recuo dos juros dos Treasuries longos.

continua após publicidade

As atenções agora se voltam para a palestra do presidente do Banco Central, Roberto Campos Neto em evento do BTG (10h0), além do Tesouro, que faz leilão de NTN-B (11h).

Às 9h20 desta terça-feira, a taxa do contrato de depósito interfinanceiro (DI) para janeiro de 2027 caía para 8,77%, de 8,86% no ajuste de ontem. O DI para janeiro de 2023 recuava para 6,69%, de 6,80%, e o para 2022 caía para 4,99%, de 5,05% no ajuste anterior. O dólar à vista caía 0,50%, a R$ 5,2979. O juro da T-note de 10 anos caía a 1,589%, de 1,603% no fim da tarde de segunda-feira.