Economia

Secretário do Tesouro defende fortalecer teto para controle da percepção de risco

Da Redação ·

O secretário especial do Tesouro e Orçamento, Bruno Funchal, fez nesta quinta-feira uma nova defesa da regra do teto de gastos e repetiu que o governo busca compatibilizar o pagamento dos precatórios com o cumprimento da regra fiscal. "É importante fortalecer teto para controlarmos percepção de risco, para termos juros mais baixos, para que as empresas façam investimentos e para gerar empregos. Desde a sua implementação, em 2016, vemos os efeitos positivos do teto de gastos em relação à percepção de risco e à melhoria fiscal. Isso permite um melhor ambiente econômico para sustentar um maior crescimento nos próximos anos", avaliou, em audiência pública na Comissão Mista de Orçamento (CMO).

continua após publicidade

Funchal lembrou que a terceira maior despesa obrigatória do Orçamento passou a ser esse volume de sentenças judiciais, que totalizam quase R$ 90 bilhões para 2022.

Para abrir espaço para o Auxílio Brasil no próximo ano, o governo tenta parcelar o pagamento dos precatórios por meio de uma PEC enviada ao Congresso Nacional.

continua após publicidade

"Da parte do Ministério da Economia - visto todos os benefícios que o teto de gastos já trouxe - o objetivo é manter o teto como está, mas harmonizando o crescimento dos precatórios", completou Funchal.