Economia

Sebrae inicia programa para ampliar investimento em startups

Iniciativa do Capital Empreendedor propõe uma mudança cultural, com a formação de investidores anjos

Da Redação ·
Sede do Sebrae/PR, em Curitiba
fonte: Arquivo/SebraePR
Sede do Sebrae/PR, em Curitiba

Começa nesta terça-feira (08), o cronograma de formação de investidores anjos (pessoas físicas, como empresários e empreendedores que investem capital próprio em startups e empresas inovadoras). A capacitação será 100% remota e começa com um workshop.

continua após publicidade

A programação vai até 26 de maio, e o Sebrae Paraná contará com a Harvard Angels (HBSAAB), associação sem fins lucrativos que objetiva facilitar o acesso de empresas startups aos capitais financeiro e humano de que necessitam na fase inicial de crescimento, como parceira. Trata-se de um projeto piloto, que deverá ser replicado pelo sistema do Sebrae Nacional.

No dia 1º, foi divulgada a lista com as 30 pessoas selecionadas para integrar a primeira turma. O processo teve 142 inscritos no Estado com entrevistas e análises nos aspectos técnico, financeiro e comportamental dos candidatos.

continua após publicidade

O diretor de Operações do Sebrae Paraná, Julio Cezar Agostini, observa que a falta de recursos para investimentos é um desafio a ser combatido.

“O que nós descobrimos, ao longo do tempo, é que não faltam recursos financeiros. O que falta é a cultura de investir em empreendimentos de risco, como empresas inovadoras, como acontece nos Estados Unidos e Europa”, ressalta.

De acordo com Agostini, o Sebrae Paraná está propondo uma mudança na cultura empresarial paranaense, ao desenvolver investidores e aproximá-los das startups.

continua após publicidade

“Os investidores anjos podem contribuir com os empreendimentos inovadores com o que chamamos de smart money, ou seja, além do dinheiro, agregar a experiência de negócios nas startups”, acrescenta o diretor.

Reginaldo José Schollemberg, empresário de Curitiba, é um dos 30 selecionados para a formação. Ele é distribuidor comercial de uma startup de Cascavel, que participou do ciclo 2021 do Capital Empreendedor e foi finalista nacional.

“Ao participar do programa, vislumbrei que já estava fazendo um investimento e que existem muitas oportunidades no mercado. Mas, é preciso maior aprendizado para investir em empreendimentos de risco”, admite.

continua após publicidade

Para o empresário, falta maior comunicação entre startups e potenciais investidores.

“O Sebrae está fazendo esse elo, com o Capital Empreendedor. Minha expectativa, com a formação, é aumentar o conhecimento e saber quais as necessidades que os investidores sentem”, completa Reginaldo.

continua após publicidade

MARINGÁ

Teresa Cristina Gurgel do Amaral, médica anestesiologista, de Maringá, também integra a lista de selecionados. Responsável pelo setor de inovação de cooperativa médica, ela tem como objetivos diversificar os investimentos e fomentar a inovação.

“[A expectativa é] Melhorar meus conhecimentos e ter uma metodologia estruturada. Estamos caminhando para um ambiente mais maduro para a inovação, no País. Cada vez mais, será importante o profissionalismo dos diversos stakeholders [pessoas que têm interesse na gestão de empresas ou na gestão de projetos, tendo ou não feito investimentos neles]”, comenta Teresa Cristina.

A edição de 2021 do Capital Empreendedor encerrou com resultados animadores, conforme o Sebrae/PR : foram 50 startups selecionadas, 26 investidores participantes, R$ 14 milhões em investimentos movimentados, 756 inscrições e 270 startups participantes. Ao longo das quatro edições do Capital Empreendedor, entre 2018 e 2021, 113 empresas de todo país receberam investimentos que somam um total de R$ 76,5 milhões. No ciclo de 2021, foram recebidas 756 inscrições, realizados 54 workshops com 270 startups participantes.