Economia

Receita: boletim de nota eletrônica mostra alta de 13,4% nas vendas em agosto

Da Redação ·

O Brasil registrou média diária de R$ 26,8 bilhões em vendas em agosto, de acordo com o boletim de Notas Fiscais Eletrônicas divulgado nesta terça-feira (22) pela Receita Federal. O indicador, usado pelo Ministério da Economia como sinalização da recuperação da atividade econômica, atingiu o maior patamar dentre todos os meses de 2020, superando em 4,4% o resultado de julho e em 13,4% o desempenho de agosto do ano passado. Os dados não contam com ajustes sazonais.

continua após publicidade

O Fisco destacou ainda a "recuperação progressiva das vendas" ao longo de agosto, com volumes semanais sempre acima de R$ 175 bilhões e um pico de R$ 210 bilhões na última semana do mês.

Com o melhor desempenho no ano, a indústria registrou o maior volume médio de vendas por dia em agosto, com R$ 14,2 bilhões. A média diária representa um aumento de 5,4% em relação a julho e uma alta de 9,8% na comparação com agosto de 2019.

continua após publicidade

Já o comércio teve, com movimentação média de R$ 10 bilhões, uma alta de 1,7% em relação a julho. A média diária apenas do segmento atacadista chegou a R$ 7 bilhões no mês passado, com aumento de 1,5% ante julho.

O Fisco ressaltou ainda que o comércio eletrônico também alcançou em agosto o melhor resultado do ano, com movimento médio diário de R$ 680 bilhões, 48,6% superior ao registrado do mesmo mês de 2019 e 2,3% maior que o apurado em julho.

De acordo com a Receita, "o movimento agregado das notas fiscais eletrônicas (NFe) capta, principalmente, as vendas entre empresas de médio e grande porte, bem como as vendas não presenciais de empresas para pessoas físicas".

continua após publicidade

Os dados mostram ainda aumentos nas vendas em todas as regiões do País. No Sudeste, que lidera o volume de vendas, houve crescimento de 11% em relação à média diária de agosto do ano passado e uma alta de 5,6% em relação a julho. No Sul, as altas foram de 13,3% e 3,1%, nessa ordem.

No Norte, o resultado de agosto representou uma alta de 24,7% em relação ao mesmo mês de 2019 e um acréscimo de 5,1% ante julho. No Nordeste, as altas foram de 10,8% e 5,2%, respectivamente. Na Região Centro-Oeste, o crescimento ante agosto de 2019 chegou a 20,2%, com quase estabilidade (+0,8%) em relação a julho deste ano.