MAIS LIDAS
VER TODOS

Economia

Quem quer o BC autônomo, é o mercado; inflação baixa para mim 'é uma obsessão', diz Lula

O presidente Luiz Inácio Lula da Silva afirmou que a reivindicação de autonomia do Banco Central (BC) parte do "mercado" e defendeu a prerrogativa dos presidentes da República de indicar os presidentes da instituição. A declaração ocorreu em entrevista à

Victor Ohana e Sofia Aguiar (via Agência Estado)

·
Escrito por Victor Ohana e Sofia Aguiar (via Agência Estado)
Publicado em 01.07.2024, 11:10:00 Editado em 01.07.2024, 11:15:23
Imagen google News
Siga o TNOnline no Google News
Associe sua marca ao jornalismo sério e de credibilidade, anuncie no TNOnline.
Continua após publicidade

O presidente Luiz Inácio Lula da Silva afirmou que a reivindicação de autonomia do Banco Central (BC) parte do "mercado" e defendeu a prerrogativa dos presidentes da República de indicar os presidentes da instituição. A declaração ocorreu em entrevista à Rádio Princesa, em Feira de Santana, na Bahia, nesta segunda-feira, 1.

continua após publicidade

"Quem quer o Banco Central autônomo é o mercado", disse o presidente. Na sequência, Lula voltou a dizer que teve um Banco Central "independente" com o comando de Henrique Meirelles nos anos 2000. O presidente também criticou novamente a manutenção da taxa de juros em 10,5%.

"O que você não pode é ter um Banco Central que não está combinando adequadamente com aquilo que é o desejo da nação. Nós não precisamos ter política de juro alto neste momento. A taxa Selic a 10,50% está exagerada", afirmou.

continua após publicidade

Lula também declarou que "a inflação está controlada" para argumentar que os juros deveriam estar mais baixos. "A inflação baixa para mim não é um desejo, é uma obsessão", disse.

O petista também voltou a associar o atual presidente do Banco Central, Roberto Campos Neto, ao governo do ex-presidente Jair Bolsonaro (PL).

"O Banco Central tem que ser de uma pessoa que seja indicada pelo presidente. Como é que pode um presidente da República ganhar as eleições e depois não poder indicar o presidente do Banco Central? Eu estou há dois anos com o presidente do Banco Central do Bolsonaro. Então, não é correto", reclamou.

continua após publicidade

Lula acrescentou: "O que não dá é o cidadão ter um mandato e ser mais importante do que o presidente da República. É isso o que está equivocado".

Na sequência, o presidente disse ter "paciência" para "esperar a hora" de indicar um novo presidente do Banco Central. Em 2024, Campos Neto encerra o seu mandato, o que abre a possibilidade de Lula indicar um substituto.

"Vamos ver se a gente consegue, com a maior autonomia possível e decência política das pessoas, ter um presidente do Banco Central que olhe o Brasil como ele é e não do jeito que o sistema financeiro fala", afirmou.

Gostou desta matéria? Compartilhe!

Icone FaceBook
Icone Whattsapp
Icone Linkedin
Icone Twitter

Mais matérias de Economia

Deixe seu comentário sobre: "Quem quer o BC autônomo, é o mercado; inflação baixa para mim 'é uma obsessão', diz Lula"

O portal TNOnline.com.br não se responsabiliza pelos comentários, opiniões, depoimentos, mensagens ou qualquer outro tipo de conteúdo. Seu comentário passará por um filtro de moderação. O portal TNOnline.com.br não se obriga a publicar caso não esteja de acordo com a política de privacidade do site. Leia aqui o termo de uso e responsabilidade.
Compartilhe! x

Inscreva-se na nossa newsletter

Notícia em primeira mão no início do dia, inscreva-se agora!