Mais lidas

    Economia

    Economia

    PPI aprova condições para desestatização de trechos de 2 rodovias no Sudeste

    Escrito por Da Redação
    Publicado em 18.05.2021, 10:54:00 Editado em 18.05.2021, 11:00:27
    Associe sua marca ao jornalismo sério e de credibilidade, anuncie no TNOnline.

    O Conselho do Programa de Parcerias de Investimentos (CPPI) aprovou a concessão comum como modalidade operacional para a desestatização de trechos da rodovia BR-101/116/RJ/SP, compreendidos entre Rio de Janeiro (RJ) e Ubatuba (SP) e entre São Paulo (SP) e Seropédica (RJ), e também de trechos da BR-262/381/ES/MG, compreendidos entre Belo Horizonte (MG) e Governador Valadares (MG) e entre João Monlevade (MG) e Viana (ES). A decisão consta de resolução publicada no Diário Oficial da União (DOU) desta terça-feira, 18.

    O documento estabelece as condições aplicáveis à desestatização dos dois empreendimentos.

    São elas: a modalidade de licitação será de leilão, por concorrência internacional; o critério de julgamento da melhor proposta econômica será a combinação do critério de menor valor de tarifa de pedágio, limitado ao desconto tarifário máximo permitido estabelecido em edital, com o de maior valor de outorga fixa; o valor de tarifa-teto do edital será aquele capaz de zerar o fluxo de caixa do projeto descontado pelo custo de capital regulatório; não haverá valor mínimo previsto para outorga fixa; e o prazo total do contrato da concessão deverá ser de trinta anos, prorrogável por até cinco anos.

    Gostou desta matéria? Compartilhe!

    Mais matérias de Economia

    Deixe seu comentário sobre: "PPI aprova condições para desestatização de trechos de 2 rodovias no Sudeste"

    O portal TNOnline.com.br não se responsabiliza pelos comentários, opiniões, depoimentos, mensagens ou qualquer outro tipo de conteúdo. Seu comentário passará por um filtro de moderação. O portal TNOnline.com.br não se obriga a publicar caso não esteja de acordo com a política de privacidade do site. Leia aqui o termo de uso e responsabilidade.