MAIS LIDAS
VER TODOS

Economia

Para Stuhlberger, foi erro acreditar em 'seriedade fiscal' do governo

O presidente e diretor de investimentos da Verde Asset, o gestor Luis Stuhlberger, expressou ontem arrependimento por ter confiado que haveria algum esforço do atual governo para equilibrar as contas públicas. "Eu me penitencio por ter acreditado que o PT

Eduardo Laguna e Bruna Emy Camargo (via Agência Estado)

·
Escrito por Eduardo Laguna e Bruna Emy Camargo (via Agência Estado)
Publicado em 08.05.2024, 07:04:00 Editado em 08.05.2024, 07:10:54
Imagen google News
Siga o TNOnline no Google News
Associe sua marca ao jornalismo sério e de credibilidade, anuncie no TNOnline.
Continua após publicidade

O presidente e diretor de investimentos da Verde Asset, o gestor Luis Stuhlberger, expressou ontem arrependimento por ter confiado que haveria algum esforço do atual governo para equilibrar as contas públicas. "Eu me penitencio por ter acreditado que o PT teria alguma seriedade fiscal", declarou Stuhlberger, que também é gestor do Fundo Verde, durante encontro com investidores.

continua após publicidade

Segundo ele, a "ficha caiu" quando, além de mudar as metas para os resultados das contas primárias dos próximos anos, o governo encaminhou o projeto orçamentário de 2025, descrito por ele como uma "peça de ficção" ao prever aumento das despesas no limite do marco fiscal (2,5%), sob a premissa de que as receitas vão subir 3,5%.

PERSPECTIVA DE PIORA

continua após publicidade

Os comentários explicam por que Stuhlberger decidiu fazer alocações de carteira com base na perspectiva de piora das condições fiscais, após as perdas com títulos prefixados, no ano passado, atribuídas à situação das contas públicas.

De acordo com o gestor, dada a facilidade em mudar o arcabouço - o que, segundo ele, colocou em xeque a credibilidade da regra -, o risco fiscal voltou a assombrar, ainda que o Brasil venha de um processo de queda da inflação e exiba uma posição favorável nas contas externas.

O Banco Central (BC), prevê o presidente da Verde Asset, tende a ser ainda mais hawkish - o termo indica que a autoridade monetária deve ser mais agressiva (hawk significa falcão) no controle da inflação -, mantendo a taxa básica de juros (Selic) mais elevada.

continua após publicidade

Stuhlberger lembra que a autoridade monetária já está reativa em razão da deterioração no ambiente internacional, com o Federal Reserve (Fed, banco central dos EUA) adiando o início do ciclo de cortes de juros, e também em função do mercado de trabalho aquecido, o que traz dúvidas sobre a desinflação de serviços.

Assim, na avaliação do gestor do Fundo Verde, o Banco Central deve não só reduzir o ritmo de cortes da Selic para 0,25 ponto porcentual como endurecer o tom nos comunicados. A decisão do Comitê de Política Monetária (Copom) será anunciada hoje.

"A reação do Roberto Campos Neto (presidente do BC) a um orçamento que é uma peça de ficção é ser mais hawkish. Vamos ver a mensagem no pós-25 (pontos-base, ou 0,25 ponto porcentual). Imagino que possa ser mais hawkish do que se imagina", comentou.

continua após publicidade

Stuhlberger avaliou que os efeitos positivos de reformas realizadas pelos dois governos anteriores - de Michel Temer e Jair Bolsonaro -, que resultaram em "maior potencial de crescimento" do Brasil, estão sendo "estragados pelo PT".

Com as novas despesas criadas pelo governo Lula - entre elas, o reforço do Bolsa Família, os pagamentos de precatórios e o reajuste do salário mínimo acima da inflação -, ele afirma que todo o espaço para gastos permitido pelo arcabouço já está tomado nos orçamentos dos dois próximos anos.

continua após publicidade

Por outro lado, o governo não tem mais muito espaço para aumentar impostos, de modo que Stuhlberger disse imaginar que, daqui para frente, poderão surgir manobras de contabilidade criativa para que despesas sejam pagas fora do orçamento.

INVESTIMENTOS

Diante desse cenário, ele disse que trocou Notas do Tesouro Nacional Série B (NTN-Bs) - títulos públicos emitidos pelo governo com rentabilidade indexada à inflação -, ou Tesouro IPCA+, com vencimento em 2035, por títulos do Tesouro dos Estados Unidos, de dez anos, apostando na diferença de taxas, o chamado spread, que chegou a ficar na faixa de 500 a 600 pontos-base no governo Dilma Rousseff.

"Não estou dizendo que vai para lá (aos 600 pontos de spread), mas é o que acontece quando o fiscal é tratado de forma irresponsável", disse o CEO da Verde.

As informações são do jornalO Estado de S. Paulo.

Gostou desta matéria? Compartilhe!

Icone FaceBook
Icone Whattsapp
Icone Linkedin
Icone Twitter

Mais matérias de Economia

    Deixe seu comentário sobre: "Para Stuhlberger, foi erro acreditar em 'seriedade fiscal' do governo"

    O portal TNOnline.com.br não se responsabiliza pelos comentários, opiniões, depoimentos, mensagens ou qualquer outro tipo de conteúdo. Seu comentário passará por um filtro de moderação. O portal TNOnline.com.br não se obriga a publicar caso não esteja de acordo com a política de privacidade do site. Leia aqui o termo de uso e responsabilidade.
    Compartilhe! x

    Inscreva-se na nossa newsletter

    Notícia em primeira mão no início do dia, inscreva-se agora!