Economia

Para Banco Mundial, digitalização é um dos caminhos para combater a pobreza

Da Redação ·

Presidente do Banco Mundial, David Malpass disse que a digitalização é um dos caminhos para o combate à pobreza. "Isso permite que as pessoas consigam dinheiro. É uma das maneiras nas quais estamos trabalhando", afirmou nesta quarta-feira em evento da Gzero Media, que integra o Eurasia Group.

continua após publicidade

Malpass afirmou que a pobreza está subindo, quando deveria estar caindo, e reforçou a "missão clara" do Banco Mundial para reverter o quadro em países em desenvolvimento. "Devemos lutar contra a pobreza, melhorar os padrões de vida e investir em desenvolvimento nessas nações", pontuou.

O presidente da instituição disse ainda que o Banco pode ajudar na produção de vacinas contra a covid-19, através da melhoria da capacidade dos produtores e do aumento de investimentos. "A produção de vacinas é enorme em economias desenvolvidas neste momento, em um ritmo acelerado."

continua após publicidade

Na visão de Malpass, há esperanças de que haja doses o suficiente para todos os países entre outubro e dezembro deste ano, mas o desafio é justamente conseguir antecipar a distribuição desses imunizantes.

Empregos e investimentos

O presidente do Banco Mundial avaliou também que as políticas dos países para gerar empregos e atrair investimentos, no geral, não estão rápidas o suficiente na retomada econômica. "Esse movimento precisa ser acelerado, através da cooperação, mas principalmente pelas lideranças", afirmou.

continua após publicidade

Esse foi um dos pontos levantados pelo presidente da instituição como importantes para a recuperação econômica. "Este é um desafio sem precedentes", afirmou Malpass, que defendeu a ampliação da vacinação da covid-19, especialmente em países nos quais a taxa de cobertura ainda está baixa.

O líder do Banco Mundial pontuou ainda a desigualdade existente nas negociações para se conseguir capital. "Existe essa força gigante das grandes economias, onde os bancos centrais estão comprando ativos de seus maiores governos e companhias, em uma negociação segura. Isso faz com que seja muito difícil para quem é novo no mercado, como os países em desenvolvimento, conseguir capital", disse Malpass. "Equilibrar isso será uma parte importante para a recuperação".