Economia

Nubank tem prejuízo reportado de US$ 66,2 mi no 4º trimestre; 36% menor

Da Redação ·

O Nubank fechou o quarto trimestre de 2021 com prejuízo de US$ 66,2 milhões, 36% abaixo das perdas de US$ 103,7 milhões registradas no mesmo período do ano passado. No critério ajustado, a fintech teve lucro de US$ 3,2 milhões, queda de 79% no comparativo anual.

continua após publicidade

Os números estão no primeiro balanço divulgado pelo Nubank como companhia de capital aberto, após o IPO simultâneo em Nova York e São Paulo realizado em dezembro. No acumulado do ano, o resultado ajustado foi positivo em US$ 6,6 milhões, revertendo o prejuízo de US$ 26 milhões de 2020. Sem os ajustes, ficou negativo em US$ 165,3 milhões, praticamente estável em base anual.

A diferença entre os números com e sem ajustes se deu pelo programa de remuneração com base em ações e pelas despesas com a abertura de capital. Com as ações do Nubank negociadas no mercado e a fintech avaliada em mais de US$ 40 bilhões, as despesas com a remuneração variável subiram 238% em um ano, para US$ 90,1 milhões no quarto trimestre.

continua após publicidade

Além disso, o Nubank gastou US$ 11,2 milhões com o NuSócios, programa através do qual distribuiu a seus clientes Brazilian Depositary Receipts (BDRs) gratuitos, um para cada cliente. O lucro ajustado exclui estes e outros efeitos.

Na avaliação do CEO e cofundador da fintech, David Vélez, o resultado comprova a tese do Nubank. "O Nu teve um forte começo como companhia de capital aberto, como ficou claro no nosso desempenho no quarto trimestre", disse ele, em mensagem que acompanha o resultado. Segundo ele, o neobanco quer expandir sua atuação e sua plataforma, chegando a novos mercados.

"Mantendo a nossa orientação de longo prazo e sempre colocando os clientes em primeiro lugar, estamos agora acelerando os esforços para crescer o ecossistema poderoso do Nu", pontuou.

continua após publicidade

Em dezembro, o Nubank chegou à marca de 53,9 milhões de clientes em todas as suas operações, crescimento de 61,9% na comparação com 2020. No Brasil, eram 52,4 milhões, e no México, segundo maior mercado da fintech, 1,4 milhão. O total de clientes ativos era de 41,1 milhões, 88% a mais que no final do ano anterior.

Ao mesmo tempo, a receita média por cliente ativo (ARPAC, na sigla em inglês) chegou a US$ 5,6 por mês, alta de 72% no comparativo anual, com o amadurecimento das safras de clientes e o lançamento de novos produtos. O custo de servir, por outro lado, caiu 22,5% em um ano, para US$ 0,9.

As receitas do Nubank tiveram salto de 214% em um ano, para US$ 635,9 milhões no quarto trimestre. No acumulado de 2021, subiram 130,4%, para US$ 1,698 bilhão.