Economia

Novos empréstimos da China caem em julho ante junho e frustram previsão

Da Redação ·

Os novos empréstimos emitidos por bancos da China recuaram em julho para cerca da metade em relação ao mês anterior, ficando abaixo da previsão. Ainda assim, a leitura mostra avanço na comparação anual e indica que o Banco do Povo da China (PBoC, na sigla em inglês) mantém apoio para empresas, afetadas pela pandemia da covid-19, com a intenção de impulsionar uma economia que desacelera.

continua após publicidade

Os bancos chineses realizaram 1,08 trilhão de yuans (US$ 166,51 bilhões) em novos empréstimos em yuan no mês passado, de 2,12 trilhões de yuans em junho, segundo dados do PboC desta quarta-feira. Mas os novos empréstimos emitidos em yuan por bancos chineses mostravam alta de 87,3 bilhões de yuans, na comparação com igual mês de 2020.

Em comunicado separado, o PBoC informou que o financiamento social total - uma medida mais ampla do crédito que inclui financiamento oferecido por instituições não bancárias - ficou em 1,06 trilhão de yuans, de 3,67 trilhões em junho.

continua após publicidade

Os dados para a M2 - a medida mais abrangente de oferta monetária - frustraram as expectativas, em alta de 8,3% em julho, na comparação anual. No mês anterior, ela havia crescido 8,6%, e agora analistas previam avanço de 8,7%. Fonte: Dow Jones Newswires.