Economia

Maioria das Bolsas da Europa fecha em queda, com piora no final do pregão

Da Redação ·

As bolsas da Europa fecharam majoritariamente em queda nesta quarta-feira, com sensível deterioração do sentimento de risco na reta final do pregão. O agravamento da crise geopolítica envolvendo a Ucrânia ainda concentra as atenções de investidores, que monitoraram também dados econômicos e balanços corporativos na região.

continua após publicidade

O índice Stoxx 600, que reúne as principais ações do continente, encerrou em baixa de 0,28%, a 453,86 pontos.

As principais praças europeias abriram a sessão desta quarta em clima de recuperação, após o anúncio de sanções econômicas de países ocidentais contra a Rússia. "Até agora, as sanções impostas pelo Ocidente não são tão pesadas quanto se poderia esperar e o mercado aparentemente está interpretando isso como uma vitória", apontaram analistas da corretora AJ Bell, em análise pela manhã.

continua após publicidade

Ao longo do dia, no entanto, a cautela gradualmente retornou aos negócios. Na ONU, o ministro das Relações Exteriores da Ucrânia, Dmytro Kuleba, pediu que a comunidade internacional aumente a pressão sobre o Kremlin. Já a Rússia prometeu responder de maneira "forte e dolorosa" às sanções.

A União Europeia (UE) adotou formalmente um pacote de medidas restritivas contra indivíduos e entidades russas, em retaliação pela decisão de Moscou de reconhecer a independência de regiões separatistas no leste ucraniano. Na quinta, líderes do bloco participarão de um reunião emergencial sobre o tema em Bruxelas.

Diante das incertezas, as ações europeias reverteram os ganhos de mais cedo e fecharam com viés negativo. A exceção foi Londres, onde o FTSE 100 encerrou com ganho de 0,05%, a 7.498,18 pontos. Barclays foi um dos destaques no mercado britânico, em alta de 3,06%, após o banco informar lucro acima das expectativas do mercado. Por outro lado, Rio Tinto perdeu 2,16%, depois que a mineradora frustrou previsões com os ganhos de 2021.

continua após publicidade

Na Europa continental, o índice DAX, de Frankfurt, cedeu 0,42%, a 14.631,36 pontos. Em Paris, o CAC 40 recuou 0,10%, a 6.780,67 pontos.

Em Milão, o FTSE MIB baixou 0,34%, a 25.955,08 pontos. Por lá, Stellantis ganhou 4,40%, também repercutindo balanço da montadora.

Em Madri, o papel da Iberdrola, que divulgou resultados, se elevou 1,30%. Contudo, o índice geral, o Ibex 35, se desvalorizou 0,63%, a 8.440,10 pontos, de acordo com cotação preliminar. Já em Lisboa, o PSI 20 diminuiu 0,62%, a 5.430,93 pontos.

continua após publicidade

No radar ainda, a leitura final da inflação ao consumidor na zona do euro confirmou a preliminar e mostrou avanço anual recorde 5,1% em janeiro. Na Alemanha, o índice de confiança do consumidor recuou para -8,1 pontos em março, de acordo com projeção do instituto GfK.

*Com informações da Dow Jones Newswires