Economia

Maioria das Bolsas da Europa fecha em baixa, com juros na Austrália e dado alemão

Letícia Simionato (via Agência Estado) · GoogleNews

Siga o TNOnline
no Google News

Receba notícias no seu WhatsApp!
Participe dos grupos do TNOnline

Os mercados acionários da Europa fecharam na maioria em queda, nesta terça-feira, 7, com a piora do sentimento de risco em meio a preocupações renovadas com a economia, na semana de decisão de política monetária do Banco Central Europeu (BCE). Investidores reagiram à decisão do Banco Central da Austrália (RBA) de aumentar juros mais do que o esperado e à queda inesperada da encomendas à indústria da Alemanha.

continua após publicidade

O índice pan-europeu Stoxx 600 fechou em queda de 0,28%, em 442,88 pontos.

De acordo com Michael Hewson, analista-chefe da CMC Markets, após uma sessão positiva na segunda-feira, os mercados europeus recuaram em meio a preocupações com inflação, taxas de juros mais altas e margens encolhidas, depois que o RBA surpreendeu o consenso ao aumentar juros mais do que o esperado. A instituição elevou a taxa básica de juros em 0,5 ponto porcentual, de 0,35% para 0,85%, nesta terça-feira. De acordo com a instituição, novos acréscimos são prováveis nos próximos meses.

continua após publicidade

"O sentimento também foi afetado por dados econômicos decepcionantes", destaca Hewson.

As encomendas à indústria da Alemanha recuaram 2,7% em abril ante março, contrariando a projeção de analistas, que previam alta de 0,5% no período. A inesperada queda acendeu o alerta vermelho sobre as perspectivas para a economia local, em meio ao aperto monetário na região.

Em entrevista exclusiva ao Broadcast (sistema de notícias em tempo real do Grupo Estado), Sven Jari Stehn, economista-chefe para a Europa do banco Goldman Sachs, afirmou que o BCE, que divulgará decisão de política monetária na próxima quinta-feira, iniciará um ciclo de alta gradual de juros em julho, com uma elevação de 0,25 ponto porcentual, ritmo este que deverá ser mantido até junho de 2023. Para 2022, ele espera que a região crescerá 2,5% neste ano, mas há o risco de este número ser menor caso o velho continente entre em recessão.

continua após publicidade

Investidores também digeriram o índice de gerentes de compras (PMI) de serviços do Reino Unido, que caiu de 58,9 em abril para 53,4 em maio, no menor nível em 15 meses, de acordo com pesquisa final da S&P Global em parceria com a CIPS.

Na Bolsa de Londres, o índice FTSE 100 fechou em queda de 0,12%, em 7.598,93 pontos.

Em Frankfurt, o índice DAX caiu 0,66%, a 14.556,62 pontos, com Deutsche Bank (-1,15%) e Volkswagen (-0,59%).

continua após publicidade

Na Bolsa de Paris, o índice CAC 40 perdeu 0,74%, a 6.500,35 pontos.

O índice FTSE MIB, da Bolsa de Milão, registrou perda de 0,81%, a 24.366,19 pontos.

Por outro lado, na Bolsa de Madri, o índice Ibex 35 subiu 0,06%, a 8.841,60 pontos, com Repsol (+3,47%).

Em Lisboa, o índice PSI 20 fechou com ganho de 1,21%, a 6.349,21 pontos, na máxima do dia.