Economia

Maioria das Bolsas da Europa fecha em baixa, com inflação e outros dados no radar

Da Redação ·

A maior parte dos mercados acionários da Europa fechou em queda nesta sexta-feira, na grande maioria, com investidores atentos a vários indicadores do continente, entre eles uma leitura acima do esperado da inflação ao consumidor da zona do euro, em meio a avanços recentes nos preços de energia e riscos de desabastecimento nessa frente. O índice pan-europeu Stoxx 600 fechou em baixa de 0,42%, em 452,90 pontos. Na comparação semanal, ele recuou 2,24%.

continua após publicidade

As praças do continente já abriram com quedas superiores a 1%, acompanhando o tom negativo da Ásia e dos mercados futuros de Nova York.

Na agenda de indicadores, o índice de gerentes de compras (PMI, na sigla em inglês) da indústria da zona do euro recuou a 58,6 em setembro, na mínima desde fevereiro e um pouco abaixo da previsão de 58,7 dos analistas. O PMI industrial do Reino Unido caiu a 57,1 em setembro, mas ficou acima da previsão de 56,3. Na avaliação da Pantheon, o dado da indústria da zona do euro sinaliza dificuldades do setor para manter uma expansão, em quadro de forte demanda por bens.

continua após publicidade

Ainda na agenda desta sexta, o índice de preços ao consumidor (CPI, na sigla em inglês) da zona do euro subiu 3,4% em setembro, na comparação anual, na máxima desde 2008.

A Capital Economics considerou em relatório que o CPI da região deve bater em 4% e fazer com que o Banco Central Europeu (BCE) tenha de reduzir compras de ativos "substancialmente" em março, enquanto o Nordea destacou o impacto dos preços de energia para o resultado.

Já o ING comentou que o BCE terá de decidir se uma simples recalibragem nas compras de bônus será suficiente para controlar o quadro ou se haverá necessidade de outros passos, como um corte mais acentuado nas compras de bônus, embora o banco holandês não espere que elevações de juros possam ser discutidas pelos dirigentes no contexto atual.

continua após publicidade

Na Bolsa de Londres, o índice FTSE 100 fechou em queda de 0,84%, em 7.027,07 pontos. Na semana, ele caiu 0,35%. No setor de energia, BP (-0,69%) e Glencore (-0,33%)

Em Frankfurt, o índice DAX teve baixa de 0,68%, a 15.156,44 pontos, com recuo de 2,44% na semana. Deutsche Lufthansa se recuperou de um tombo no dia anterior e subiu 4,85%, mas Deutsche Bank caiu 2,16%.

Na Bolsa de Paris, o índice CAC 40 caiu 0,04%, para 6.517,69 pontos, com baixa de 1,82% na comparação semanal.

continua após publicidade

O índice FTSE MIB, da Bolsa de Milão, registrou queda de 0,27%, a 25.615,31 pontos, e na semana recuou 1,36%. Nesta sexta, Telecom Italia caiu 0,50% e Intesa Sanpaolo, 0,18%.

Em Madri, o índice Ibex 35 subiu 0,04%, a 8.799,50 pontos. Na semana, ele caiu 0,83%. BBVA foi o papel mais negociado, em baixa de 1,47%, e Santander recuou 0,41%. Já Iberdrola e Repsol avançaram 0,51% e 0,18%, respectivamente.

Na Bolsa de Lisboa, o índice PSI 20 fechou em alta de 0,30%, em 5.477,07 pontos. Na semana, subiu 0,98%.