Economia

Maioria das Bolsas da Europa fecha em alta; mercados são puxados por humor em NY

Da Redação ·

As bolsas europeias fecharam majoritariamente em alta nesta terça-feira, 19. Com a agenda local esvaziada, os principais índices do Velho Continente operaram próximos á estabilidade, antes de serem impulsionados pelo bom humor em Nova York diante da temporada de balanços corporativos nos EUA, que nesta terça contou mais uma vez com resultados melhores que o esperado de grandes companhias do país. Com isso, o índice pan-europeu Stoxx 600 fechou em alta de 0,33%, aos 468,58 pontos.

continua após publicidade

A Johnson & Johnson reportou reportou lucro acima do previsto no terceiro trimestre, segundo informou a empresa nesta manhã. Outro destaque de hoje, a Procter & Gamble também superou as expectativas de lucro líquido para o seu primeiro trimestre fiscal, encerrado em setembro. Mais tarde, saem os balanços de United Airlines e Netflix.

Entre setores específicos, companhias de energia avançaram para algumas das maiores altas do dia nos índices europeus.

continua após publicidade

Em Milão, cujo FTSE MIB subiu 0,25% nesta terça, aos 26.332,99 pontos, a Enel teve alta de 2,53%.

Já no DAX, da Bolsa de Frankfurt, a Siemens Energy avançou 1,31% e contribuiu para o ganho de 0,27% do índice, aos 15.515,83 pontos.

Em Paris, a Engie subiu 1,88%. O avanço, no entanto, não foi suficiente para frear a queda de 0,05% do índice CAC 40, aos 6.669,85 pontos. Por fim, no madrilenho IBEX 35, que teve alta de 0,67%, aos 8.996,30 pontos, os ganhos se concentraram em ações de empresas de energia renovável, como a Solaris (+5,36%) e a Siemens Gamesa (+2,80).

continua após publicidade

Em Londres, mineradoras alternaram entre fortes perdas e ganhos nesta terça. A Fresnillo foi um dos destaques positivos, em alta de 2,85%, assim como a Polymetal, que subiu 2,08%. A Glencore, por outro lado, acumulou perda de 2,99%. A pior performance do londrino FTSE 100 - que fechou em alta de 0,19%, aos 7.217,53 pontos - porém, foi da IAG (-5,78%), com investidores ainda preocupados com uma nova onda de casos de covid-19 no Reino Unido, que pode afetar a demanda por viagens.

Entre dirigentes do Banco Central Europeu (BCE), Fabio Panetta alertou nesta terça para possíveis riscos ligados ao uso de moedas digitais emitidas por BCs (CBDC, na sigla em inglês) por estrangeiros. Já Frank Elderson destacou o papel do Banco Central brasileiro na integração da agenda climática à sua atuação.

Também segue no radar dos investidores a crise energética na Europa. Segundo uma reportagem da Bloomberg, a Rússia tem sinalizado que vai liberar mais gás natural à região só se o início das operações do gasoduto Nord Stream 2 for aprovado.

Por fim, entre os índices europeus, o PSI 20, da Bolsa de Lisboa, fechou na máxima do dia, em alta de 0,92%, aos 5.670,98 pontos.