Economia

Magazine Luiza: conselho aprova aquisição da Kabum! por R$ 1 bilhão

Da Redação ·

O conselho fiscal do Magazine Luiza aprovou por unanimidade a aquisição do site de games e tecnologia Kabum!, maior compra da história da companhia, por R$ 1 bilhão em recursos financeiros. A decisão inclui também o pagamento de R$ 2,5 bilhões por meio da emissão de 75 milhões de ações ordinárias da varejista em favor dos acionistas da empresa comprada.

continua após publicidade

A transação aprovada pelo conselho também prevê dois bônus de subscrição com vencimento em 31 de janeiro de 2024. Caso as metas de performance preestabelecidas sejam atingidas no período, os acionistas da Kabum! terão o direito de subescrever 25 milhões de ações ordinárias do Magazine Luiza em cada bônus, somando 50 milhões de papéis.

Caso a incorporação das ações da Kabum! seja aprovada pelos acionistas das companhias envolvidas, o capital social do Magazine Luiza passará de R$ 10 bilhões para R$ 12,5 bilhões, um aumento de R$ 2,5 bilhões. Essa cifra leva em consideração exclusivamente a incorporação de ações. Cada acionista da Kabum! receberá 53 novas ações de emissão da varejista para cada papel da empresa comprada.

continua após publicidade

"Com a aquisição, o Magalu reforça o pilar estratégico de novas categorias, com um sortimento extremamente complementar ao atual e com enorme potencial de crescimento", diz o fato relevante divulgado nesta terça-feira pela companhia.

Depois da conclusão da aquisição, os produtos da Kabum! serão oferecidos no SuperApp da varejista, Além disso, os clientes da empresa comprada poderão contar com os benefícios de multicanalidade, enquanto os diversos produtos do Magalu complementarão o sortimento da Kabum!. Os produtos financeiros da varejista, como cartão de créditos e seguros, também serão oferecidos aos clientes da plataforma de tecnologia e games.

O Magazine Luiza destaca que a operação será notificada ao Cade e a eficácia da incorporação de ações, caso aprovada pela Assembleia Geral Extraordinária da Kabum! e da varejista, dependerá ainda da aprovação da operação pelo órgão regulador.