Economia

Juros: taxas futuras têm viés de baixa antes de reunião sobre covid e Campos Neto

Da Redação ·

O recuo dos juros dos Treasuries longos e do dólar ante o real traz algum alívio à curva de juros, mas o movimento é limitado pela cautela enquanto investidores aguardam pela reunião dos três Poderes, governadores e ministros para tratar da gestão da pandemia e também pela participação do presidente do Banco Central, Roberto Campos Neto, de evento do BIS (13h55).

continua após publicidade

Às 9h10 desta quarta-feira, 24, a taxa de depósito interfinanceiro (DI) para janeiro de 2027 caía para mínima de 8,40%, de 8,43% no ajuste de ontem. O DI para janeiro de janeiro de 2023 recuava para 6,36%, de 6,42%, enquanto o para janeiro de 2022 estava em 4,64%, de 4,68% no ajuste anterior. O dólar à vista recuava 0,11%, a R$ 5,5095 no mesmo horário. O juro da T-note de 10 anos diminuía a 1,626%, de 1,629%.