Economia

Índice de preços da Ceagesp sobe 8,1% em fevereiro, puxado por verduras e legumes

Da Redação ·

O índice de preços da Ceagesp fechou fevereiro em alta de 8,10%. Todos os setores apresentam variação positiva ante janeiro, com destaque para Verduras e Legumes, com 44,07% e 22,44%, respectivamente. "Ambos os setores foram prejudicados pelas geadas de julho de 2021 e, antes que pudessem se recuperar, vieram as fortes chuvas de 2022, que comprometeram os ciclos de novas colheitas nas regiões produtoras", disse a Ceagesp em nota.

continua após publicidade

A tendência do índice para o mês de março é de os setores de Legumes e Verduras continuarem sofrendo os impactos promovidos por fortes chuvas e calor intenso.

Em fevereiro, o setor de Frutas registrou alta de 0,55%. As principais reduções ocorreram nos preços da pera estrangeira Willians (-35,40%), do maracujá azedo (-28,78%), do abacate geada (-28,76%), da goiaba vermelha (-24,00%) e da goiaba branca (-18,35%). As principais altas ocorreram com melão amarelo (50,12%), melancia (41,39%), maçã nacional Fuji (36,29%), morango comum (34,18%) e maçã Gala (13,57%).

continua após publicidade

O setor de Legumes registrou alta de 22,44%. Os maiores aumentos de preços foram os da abóbora japonesa (92,92%), da cenoura (65,15%), da berinjela (52,53%), do pimentão verde (41,34%) e da abobrinha italiana (39,80%). As principais baixas se deram nos preços da mandioca (-12,45%), do quiabo liso (-12,19%) e da pimenta Cambuci (-11,87%), da abóbora seca (-8,71%) e do pepino japonês (-5,86%).

O setor de Verduras apresentou alta de 44,07%. Os principais aumentos ocorreram com a escarola (98,87%), o repolho liso (95,93%), o espinafre (93,66%), a acelga (90,94%) e a salsa (86,41%). Os produtos, em um contexto geral, apresentaram estabilidade nos preços. A única baixa do período ficou por conta do milho verde (-0,55%).

O setor de Diversos apresentou alta de 13,42%. As principais altas ocorreram nos preços da batata lavada (34,55%), da batata asterix (23,44%), dos ovos brancos (20,86%), dos ovos vermelhos (13,78%) e do alho (11,10%).

continua após publicidade

O setor de Pescados apresentou aumento de 1,69%. As principais altas ocorreram nos preços da betarra (36,84%), da tainha (28,57%), da anchova (18,47%), do camarão ferro (8,23%) e da pescada maria-mole (6,62%). As principais baixas se deram nos preços da cavalinha (-17,80%), da pescada-goete (-15,79%), do cascote (-12,50%), da lula congelada (-10,96%) e da corvina (-7,90%).

()