Mais lidas

    Economia

    Economia

    INCC-M desacelera a 0,95% em abril, após 2,00% em março, revela FGV

    Escrito por Da Redação
    Publicado em 27.04.2021, 08:26:00 Editado em 27.04.2021, 08:31:25
    Associe sua marca ao jornalismo sério e de credibilidade, anuncie no TNOnline.

    O Índice Nacional de Custo da Construção - Mercado (INCC-M) diminuiu o ritmo de alta na passagem de março para abril, de 2,00% para 0,95%, informou nesta terça-feira, 27, a Fundação Getulio Vargas (FGV). Com esse resultado, o INCC-M acumula alta de 5,03% no ano e de 12,82% em 12 meses. Os dois índices componentes favorecem o alívio no mês: a taxa do índice relativo a Materiais, Equipamentos e Serviços passou de 3,76% em março para 1,88% em abril, enquanto o referente à Mão de Obra passou de 0,28% para 0,01% no período.

    Dentro de Materiais, Equipamentos e Serviços, a desaceleração também foi geral. Materiais e Equipamentos arrefeceram de 4,44% em março para 2,17% em abril. Segundo a FGV, todos os subgrupos componentes apresentaram decréscimo em suas taxas de variação, destacando-se materiais para estrutura, cuja taxa passou de 5,70% para 2,25%.

    Na parte relativa a Serviços, a variação passou de 0,69% para 0,52% no período, com destaque para a perda de ímpeto do item aluguel de máquinas e equipamentos, que passou de 1,31% para 1,03%.

    Capitais

    Todas as sete capitais analisadas também apresentaram desaceleração na passagem de março para abril no INCC-M. Em Salvador, a variação foi de 2,93% para 0,96%. Brasília mostrou alívio de 1,09% para 0,78%, enquanto Belo Horizonte teve arrefecimento de 1,27% para 1,02%. A perda de força no ritmo de alta também foi observada em Recife (1,30% para 1,26%), Rio de Janeiro (2,03% para 1,01%), Porto Alegre (2,14% para 0,94%) e São Paulo (2,25% para 0,93%).

    Principais influências

    A FGV só destacou, em nota, os itens que mais contribuíram com a alta do INCC-M em abril. São eles: vergalhões e arames de aço ao carbono (19,39% para 3,86%), condutores elétricos (4,15% para 11,15%), tubos e conexões de ferro e aço (5,64% para 3,84%), elevador (2,89% para 2,09%) e argamassa (0,72% para 3,22%).

    Gostou desta matéria? Compartilhe!

    Mais matérias de Economia

    Deixe seu comentário sobre: "INCC-M desacelera a 0,95% em abril, após 2,00% em março, revela FGV"

    O portal TNOnline.com.br não se responsabiliza pelos comentários, opiniões, depoimentos, mensagens ou qualquer outro tipo de conteúdo. Seu comentário passará por um filtro de moderação. O portal TNOnline.com.br não se obriga a publicar caso não esteja de acordo com a política de privacidade do site. Leia aqui o termo de uso e responsabilidade.