MAIS LIDAS
VER TODOS

Economia

Haddad reitera que comentará Copom após a ata e diz ver naturalidade em 'debate técnico'

O ministro da Fazenda, Fernando Haddad, voltou a afirmar nesta quinta-feira, 9, que só comentará a decisão do Comitê de Política Monetária (Copom), de cortar em 0,25 ponto porcentual a taxa Selic, para 10,50%, após ler a ata na próxima terça-feira."Vejo c

Fernanda Trisotto, Amanda Pupo e Sofia Aguiar (via Agência Estado)

·
Escrito por Fernanda Trisotto, Amanda Pupo e Sofia Aguiar (via Agência Estado)
Publicado em 09.05.2024, 13:11:00 Editado em 09.05.2024, 13:15:00
Imagen google News
Siga o TNOnline no Google News
Associe sua marca ao jornalismo sério e de credibilidade, anuncie no TNOnline.
Continua após publicidade

O ministro da Fazenda, Fernando Haddad, voltou a afirmar nesta quinta-feira, 9, que só comentará a decisão do Comitê de Política Monetária (Copom), de cortar em 0,25 ponto porcentual a taxa Selic, para 10,50%, após ler a ata na próxima terça-feira.

continua após publicidade

"Vejo com naturalidade o debate técnico em torno dessa questão, é o andamento normal das coisas", disse Haddad, um dia depois de a decisão do Copom trazer divisão nos votos dos componentes do comitê do BC.

Mais cedo, o ministro da Fazenda havia afirmado que o comunicado do Copom estava "muito sintético".

continua após publicidade

Questionado, também mais cedo, sobre a percepção do mercado de a divisão significar mais leniência com a inflação por parte da diretoria indicada pela atual gestão de Luiz Inácio Lula da Silva, o ministro falou sobre a sinalização do Copom para as próximas reuniões, algo que não constou neste comunicado, pela primeira vez desde agosto do ano passado. "Acho que o guidance era uma coisa muito importante de se observar", disse.

Na reunião de março, o colegiado do Copom tinha indicado que manteria o ritmo de corte de 0,50 ponto porcentual da Selic para este encontro. Nas últimas semanas, no entanto, o presidente do BC, Roberto Campos Neto, já vinha dando indicações de que poderia adotar uma postura maishawkish(dura), levando em conta a postergação do início da flexibilização da política monetária dos Estados Unidos.

O cenário doméstico, incluindo a mudança na meta fiscal, inspirava preocupação, mas a situação das chuvas no Rio Grande do Sul adicionou incertezas ao processo.

O resultado do Copom foi dividido. Os cinco diretores, incluindo o presidente, que já estavam no BC antes de Lula assumir a presidência, votaram pelo corte de 0,25 porcentual. Já os quatro nomes indicados pelo atual governo optaram por redução de 0,50 ponto porcentual.

Gostou desta matéria? Compartilhe!

Icone FaceBook
Icone Whattsapp
Icone Linkedin
Icone Twitter

Mais matérias de Economia

    Deixe seu comentário sobre: "Haddad reitera que comentará Copom após a ata e diz ver naturalidade em 'debate técnico'"

    O portal TNOnline.com.br não se responsabiliza pelos comentários, opiniões, depoimentos, mensagens ou qualquer outro tipo de conteúdo. Seu comentário passará por um filtro de moderação. O portal TNOnline.com.br não se obriga a publicar caso não esteja de acordo com a política de privacidade do site. Leia aqui o termo de uso e responsabilidade.
    Compartilhe! x

    Inscreva-se na nossa newsletter

    Notícia em primeira mão no início do dia, inscreva-se agora!