Economia

Guedes diz que teve café da manhã com Bolsonaro e Lira e que recebeu 'uma missão'

Da Redação ·

O ministro da Economia, Paulo Guedes, disse nesta sexta-feira que recebeu "uma missão" no café da manhã deste dia 1º de outubro no Palácio da Alvorada com o presidente Jair Bolsonaro e o presidente da Câmara dos Deputados, Arthur Lira (PP-AL). Guedes não foi explícito sobre qual missão seria essa, embora Lira tenha afirmado ao deixar o encontro que a pauta foi o preço dos combustíveis e a agenda econômica.

continua após publicidade

"Temos que aprovar coisas importantes que nos condicionam para estender o Bolsa Família. Esse final de ano é decisivo, porque precisamos botar de pé a reforma do Imposto de Renda e a PEC dos Precatórios. Com essas duas peças, poderemos aumentar Bolsa Família em 60% - mais que a alta de alimentos e combustíveis - de forma a proteger essa camada de brasileiros que foi também atingida pela pandemia", afirmou, durante participação virtual em cerimônia de assinatura de acordos de cooperação e contratos de cessão imobiliária em Florianópolis (SC).

No rápido discurso, Guedes voltou a afirmar que a economia brasileira está "se levantando" ao passo em que avança a vacinação em massa.

continua após publicidade

Ele citou os resultados do mercado de trabalho com a criação de quase 2 milhões de empregos com carteira assinada em 2021. "O Brasil criou mais de 3 milhões de empregos formais desde o fundo do poço em 2020 e os últimos dados mostram a criação de outros 3 milhões de empregos informais no último trimestre", completou.

O ministro voltou a citar os R$ 540 bilhões em projetos de concessões em infraestrutura para avaliar que o Brasil é atualmente a maior fronteira de investimentos do mundo. Guedes também prometeu que o governo irá derrubar a inflação no próximo ano.

"Brasil vai crescer de novo em 2022 e vamos prosseguir com as nossas reformas. Estamos otimistas, temos uma crise hídrica, mas o Brasil se mostrou resiliente na pandemia. Podemos ter ventos contrários, como a crise hídrica e a inflação, mas vamos lutar até o fim", concluiu Guedes.