Economia

Fed diz que continuará usando todas as ferramentas para apoiar a economia dos EUA

Da Redação ·

Em comunicado da decisão de política monetária divulgado nesta quarta-feira, 16, o Federal Reserve (Fed, o banco central americano) afirma estar comprometido em usar sua gama de ferramentas para apoiar o máximo emprego e a estabilidade de preços. Segundo o documento, a pandemia de covid-19 está causando dificuldades humanitárias e financeiras "tremendas" nos EUA e ao redor do mundo.

continua após publicidade

A economia americana, segundo o Fed, segue se recuperando, mas permanece em patamar bem abaixo dos níveis do começo do ano.

O nível da economia, diz o comunicado, depende "significativamente" do curso do vírus.

continua após publicidade

"A atual crise de saúde pública continuará a pesar sobre a atividade econômica, o emprego e a inflação no curto prazo e apresenta riscos consideráveis para as perspectivas econômicas no médio prazo", destaca o texto, que também atribui a baixa inflação à demanda mais fraca e à queda nos preços do petróleo.

Política acomodatícia

O Federal Reserve ainda afirma em decisão de política monetária divulgada nesta quarta que manterá uma política acomodatícia até que seu duplo objetivo de máximo emprego e inflação anual de 2% no longo prazo seja alcançado.

continua após publicidade

De acordo com o documento, com a inflação rodando "persistentemente abaixo" da meta de longo prazo, o Fed irá buscar uma taxa "moderadamente acima de 2% por algum tempo", de forma que, na média, a inflação fique em 2% ao longo do tempo e permaneça ancorada neste nível.

Projeções para o PIB

O Fed atualizou suas projeções para o Produto Interno Bruto (PIB) dos Estados Unidos de 2020, 2021, 2022 e 2023, no comunicado de política monetária divulgado. A entidade agora espera contração de 2,4% do país PIB neste ano, frente à queda de 3,7% antes projetada.

continua após publicidade

Para 2021, a expectativa é de crescimento de 4,2%, ligeiramente acima de avanço da mediana das projeções de junho, de 4,0%.

Em 2022, a projeção é de avanço do PIB de 3,2% (de 3,0% anteriormente), enquanto que em 2023 o Fed projeta avanço de 2,4% (ante 2,5% na leitura anterior). No longo prazo, a previsão é de crescimento de 1,8% (de 1,9% em setembro).

continua após publicidade

Desemprego

O Federal Reserve espera um cenário mais positivo para o mercado de trabalho dos Estados Unidos, em comparação com as projeções de setembro da instituição. De acordo com a mediana das previsões atualizadas, a taxa de desemprego deve ficar em 6,7% em 2020, quando em setembro a expectativa era de 7,6%.

Para 2021, o Fed projeta um desemprego de 5,0%, (ante 5,5% em setembro), enquanto que para 2022 a entidade reduziu sua previsão de setembro de 4,6% para 4,2% na leitura mais recente. Para 2023, a projeção era de 4,0% em setembro, e agora passou para 3,7%. No longo prazo, a mediana das expectativas foi mantida em 4,1%.

Inflação

O Fed manteve sua projeção para o índice de preços de gastos com consumo (PCE, na sigla em inglês), medida de inflação preferida da instituição. De acordo com as atualizações divulgadas, a mediana das projeções para o PCE em 2020 é de 1,2%, mesma taxa prevista pelo Fed em setembro.

Para 2021, ela passou de 1,7% para 1,8% agora. No ano de 2022, a mediana das projeções para o PCE é de alta de 1,9%, quando em setembro era de 1,8%. Em 2023, a estimativa está em 2,0%, a mesma taxa de longo prazo nas projeções.

Para o núcleo do PCE, os dirigentes esperam avanço de 1,4% em 2020 (de 1,5% em setembro), de 1,8% em 2021 (de 1,7% anteriormente) e de 1,9% em 2022 (de 1,8% na projeção anterior). Em 2023, a expectativa para o núcleo do PCE é de avanço de 2,0%.