Economia

Europa: bolsas fecham em queda após BCE apontar alta de juros em julho e setembro

Letícia Simionato (via Agência Estado) ·
Receba notícias no seu WhatsApp!
Participe dos grupos do TNOnline

Os mercados acionários da Europa fecharam em queda nesta quinta-feira, 9, após o Banco Central Europeu (BCE) confirmar os planos de subir juros em julho e setembro. Além disso, o mercado renova preocupações com a economia da China, que anunciou uma nova etapa de lockdowns em algumas cidades.

continua após publicidade

O índice pan-europeu Stoxx 600 fechou em queda de 1,36%, em 434,38 pontos.

O BCE decidiu nesta quinta manter sua taxa de refinanciamento em 0%, a de depósitos em -0,50% e a de empréstimo em 0,25%. Apesar da manutenção, a instituição deixou claro o compromisso de elevar as taxas em julho e em setembro. Além disso, o BC comum cortou significativamente as projeções para o crescimento do Produto Interno Bruto (PIB) da zona do euro este ano e no próximo, e estimou que a inflação ficará acima da meta de 2% até pelo menos 2024. Presidente do BCE, Christine Lagarde, não descartou um aumento de 50 pontos-base em setembro. De acordo com ela, o ritmo de alta dependerá da perspectiva inflacionária.

continua após publicidade

O Commerzbank acredita que o BCE ainda está agindo "com muita hesitação", estando atrás da curva. Por outro lado, o ING argumenta que a postura "hawkish" do BC pode se provar "prematura". De acordo com o banco, a economia da zona do euro corre risco de entrar em recessão e o choque inflacionário na região é movido pelos preços de energia, algo que o BCE pouco pode afetar, já que a política monetária tende a comprimir a demanda.

Michael Hewson, analista-chefe da CMC Markets, destaca que o otimismo do início da semana sobre a queda das restrições na China dá lugar "à realidade de que a estratégia de zero covid-19 significará que qualquer recuperação na segunda maior economia do mundo será mais difícil". A balança comercial chinesa mostrou superávit de US$ 78,8 milhões em maio, acima da expectativa dos analistas. A Capital Economics, porém, prevê perda de fôlego adiante, com ventos contrários à atividade, como lockdowns para conter a covid.

O distrito de Minhang, em Xangai, começará uma nova rodada de testes de covid-19 neste sábado (11) e autoridades determinaram que as pessoas devem ficar em casa durante esse período, segundo a agência Dow Jones Newswires. Agências de notícias informam que o alerta para o vírus ocorria não apenas em Xangai, mas também em Pequim.

continua após publicidade

"Isso está pesando no setor de mineração na forma de preços mais baixos de metais, o que está colocando empresas como a Rio Tinto sob pressão", completa Hewson. Na Bolsa de Londres, o índice FTSE 100 fechou em queda de 1,54%, em 7.476,21 pontos, com Rio Tinto em queda (-2,72%), Antofagasta (-0,97%) e Anglo American (-2,56%).

Em Frankfurt, o índice DAX caiu 1,71%, a 14.198,80 pontos. Na Bolsa de Paris, o índice CAC 40 perdeu 1,40%, a 6.358,46 pontos. O índice FTSE MIB, da Bolsa de Milão, registrou perda de 1,90%, a 23.776,97 pontos. Na Bolsa de Madri, o índice Ibex 35 caiu 1,49% a 8.711,20 pontos. Em Lisboa, o índice PSI 20 fechou com perda de 0,52%, a 6.301,73 pontos.