Economia

Espera por Fed e vencimento de opções provocam instabiliade ao Ibovespa

Da Redação ·

A indefinição das bolsas internacionais motivada pela espera do Federal Reserve (Fed, o banco central dos Estados Unidos) deixa o Ibovespa instável nesta quarta-feira. Além disso, o vencimento de opções sobre o índice reforça este quadro por aqui, bem como indicadores com resultados variados da China e temores com a Ômicron. De todo modo, a aprovação da Proposta de Emenda à Constituição (PEC) dos Precatórios, na Câmara, ontem em primeiro turno, ainda que a segunda fase tenha ficado para hoje, pode gerar algum alívio, após o Ibovespa ter fechado em queda de 0,58%, aos 106.759,92 pontos.

continua após publicidade

A tendência, diz o economista-chefe do ModalMais, Álvaro Bandeira, é que os mercados se arrastem até as 16 horas, quando o Fed divulgará sua decisão de política monetária, a despeito de já ter dito certa antecipação na véspera.

Há pouco, o Ibovespa voltou a cair, mesmo sinal visto no pré-mercado de ações de Nova York, onde investidores esperam com grande expectativa a decisão sobre política monetária nos Estados Unidos.

continua após publicidade

A expectativa é de manutenção das taxas, mas sinalização de aceleração na retirada do tapering. Neste sentido, dados mistos da atividade do país informados há pouco e as incertezas provocadas pela variante ômicron reforçam o tom cauteloso.

De um lado, as vendas varejistas subiram menos que o esperado em novembro, enquanto o Índice Empire State de atividade foi a 31,9 em dezembro, ante previsão de 25. "Qualquer análise agora é preciso ser feita com muito cuidado", avalia Nicolas Farto, especialista em renda variável da Renova Invest. "Temos de esperar o Dot Plots com projeções do Fed. Porém, é clara a postura contracionista do Fed. Aposentou a palavra transitória para comportamento da inflação. Vamos ver como está a cabeça de cada diretor", completa Farto.

Às 11h06, o Ibovespa cedia 0,06%, aos 106.697,32 pontos, aos 106.866,38 pontos, após máxima diária aos 107.136,12 pontos (alta de 0,35%) e mínima aos 106.178,89 pontos (queda de 0,54%.

continua após publicidade

Já a deflação do IGP-10 de dezembro reforça a ideia de desaceleração à frente, ainda que de forma moderada, dando algum alívio a algumas ações de consumo na Bolsa. Os papéis de frigoríficos (Minerva, por exemplo, subia 7,01%), que já vinham em alta desde ontem, estendem os ganhos após a Administração Geral de Alfândegas da China (Gacc, na sigla em inglês) autorizar a retomada das importações de carne bovina desossada com menos de 30 meses do Brasil a partir de hoje.

Já o IBC-Br reforçou quadro de enfraquecimento da economia. Na margem, em outubro, recuou 0,40% ante setembro. Na comparação interanual, contudo, subiu 4,99%, superando a mediana de -0,80%.

O petróleo cai mais de 1% no exterior e o minério de ferro fechou em queda de 0,80%, no porto chinês de Qingdao, a US$ 111,00 a tonelada. As ações de Vale e Petrobras cedem.

continua após publicidade

Os mercados já antecipam os sinais que devem ser emitidos hoje pelo Fed, em meio ao crescimento inflacionário. Segundo o economista Silvio Campos Neto, sócio da Tendências Consultoria, além da aceleração do tapering amplamente indicada pelos dirigentes, fica a expectativa pelo tom da coletiva de Jerome Powell e pela atualização do gráfico de pontos. Isso deve mostrar um maior apoio entre os membros do FOMC ao aumento dos juros em 2022. "Antes disso, as vendas no varejo nos EUA devem reforçar o quadro positivo do consumo no 4T."

Como lembra Antônio Sanches, especialista em investimentos da Rico, a reunião ocorre após dados recentes de inflação ao produtor e ao consumidor nos EUA indicarem altas expressivas e patamares históricos. "Jerome Powell (presidente do Fed) tem se mostrado mais preocupado com a inflação e pode adotar uma postura mais rígida para controlar o aumento de preços no país" avalia em relatório.

Além de indicadores como a alta da produção industrial menor do que a esperada e a desaceleração nas vendas do varejo do gigante asiático, investidores adotam cautela com a disseminação da nova cepa por lá. Estudo mostra que duas doses da vacina da Sinovac não são suficientes para neutralizar a nova variante.

"Dados de atividade de outubro reiteraram o ritmo mais fraco de crescimento, com destaque para a desaceleração mais forte do varejo. Por fim, informações que o governo Joe Biden EUA colocará oito empresas chinesas em lista negra de investimentos também pesam", avalia Campos Neto, da Tendências Consultoria.

O mercado ainda acompanha o desenrolar do processo de privatização da Eletrobras, cuja análise pelo TCU está prevista para hoje. As ações cediam em torno de 7%.