Economia

Em fórum, Mourão critica concentração de terra e água no semiárido brasileiro

Da Redação ·

O vice-presidente Hamilton Mourão afirmou nesta quinta-feira, 3, que a concentração de terra e água na região do semiárido contribui para "níveis expressivos de exclusão de social" e "degradação ambiental". Durante a abertura do Fórum de Desenvolvimento do Semiárido 2020, ele destacou que as políticas para a região de combate à seca devem enfrentar à concentração de privilégios.

continua após publicidade

"A redução dos efeitos desfavoráveis da seca passa pela adoção de políticas que enfrentem os problemas de concentração de terra, de água, de saber, de oportunidade e de renda", declarou. "Em muitos casos ainda hoje, as únicas políticas oficiais destinadas à região são aquelas que combatem a seca voltadas a grandes obras normalmente destinadas aos mais ricos e vinculadas ao assistencialismo para os mais pobres", acrescentou.

Mourão citou também a desigualdade na região e a dependência de benefícios do governo. "Metade da população que aqui vive não possui renda monetária ou tem como única fonte os benefícios governamentais." Ele ressaltou que o governo do presidente Jair Bolsonaro estará empenhado em implementar as propostas debatidas no fórum com o objetivo de tornar o semiárido "moderno, produtivo, gerador de emprego e renda e fornecedor de alimentos para o mundo".

continua após publicidade

Presente no evento, o ministro da Educação, Milton Ribeiro, também reforçou o comprometimento do Executivo em atender a região. "Manter o sertanejo na dependência do Estado é mais simples e rende votos, mas o povo brasileiro merece mais do que o paternalismo. Brasileiros merecem a liberdade de trabalhar para o seu futuro", afirmou Ribeiro.

O ministro ressaltou ainda a necessidade de investimentos em políticas de alfabetização. "O semiárido não se tornará uma nova fronteira de progresso sem transformação do contexto da educação básica", disse. O fórum é uma iniciativa da Frente Parlamentar Mista em Prol do Semiárido e ocorrerá até sábado, 5. O evento servirá de base para a construção do novo Plano de Desenvolvimento do Semiárido (PDS).