Economia

Dúvidas internas e espera por juros deixam Ibovespa com viés de queda

Da Redação ·

O Ibovespa tem uma terça-feira de instabilidade, enquanto as bolsas de Nova York tentam firmar-se em alta. Os mercados adotam certa cautela antes das decisões de política monetária ao longo da semana, sobretudo nos Estados Unidos e no Brasil, amanhã, a chamada "super quarta". Além da expectativa de alguma parcimônia interna por causa dessas questões, investidores também podem olhar com certo cuidado a chegada do novo ministro da Saúde no governo, para saber as novas diretrizes que serão tomadas para conter o avanço da pandemia de covid-19 no Brasil.

continua após publicidade

Somado a isso, o recuo nos contratos futuros do petróleo no mercado internacional também não deve ajudar o Ibovespa. Em contrapartida, a elevação de 1,83% do minério de ferro no porto chinês de Qingdao, a US$ 166,32 a tonelada, dá alívio ao índice, bem como nas ações ligadas a commodities metálicas. CSN ON, por exemplo, subia 3,82%.

"Tem essa cautela com as reuniões de política monetária. Esse Copom será bem importante, pois vemos a inflação acelerando. Nesta terça, o Índice Geral de Preços - 10 (IGP-10) de março subiu mais que o esperado 2,99%, ante mediana de 2,84%. Cada vez mais a inflação começa a ser uma preocupação no Brasil. Por isso, será esperado com grande expectativa o documento do Copom após a decisão", diz Eduardo Cubasuardo Cubas, sócio da Manchester Investimentos.

continua após publicidade

As expectativas para o Comitê de Política Monetária (Copom) são de retomada do processo de alta da Selic, de 0,50 ponto porcentual, com a taxa indo para 2,50% ao ano. Quanto ao Federal Reserve (Fed, o banco central norte-americano), espera-se manutenção do juro, mas revisões nas estimativas de crescimento, depois da injeção de US$ 1,9 trilhão do pacote fiscal aprovado recentemente. "É uma situação um pouco mais previsível e flexível do que no caso do Banco Central brasileiro", diz.

Da mesma forma que as vendas do varejo norte-americano, que tiveram recuo pior do que o esperado, a produção industrial dos Estados Unidos cedeu 2,2% em fevereiro ante janeiro. O dado contrariou a previsão de alta de 0,3%, ajudando a acentuar a queda dos juros longos nos EUA, e a empurrar o dólar para baixo. As europeias tinham ganhos em torno de 0,50%, apesar das dúvidas sobre a vacina da Astrazeneca, que foi suspensa em vários países europeus, após relatos de trombose em pacientes imunizados.

Contudo, há pouco a Agência Europeia de Medicamentos (EMA) informou que, no presente, não há indícios de que vacina da AstraZeneca causou complicações. A EMA acredita que os benefícios do imunizante são maiores que os riscos.

continua após publicidade

No Brasil, "seria bom ultrapassar de forma definitiva os 115 mil pontos e, com isso abrir o objetivo em 118.120 pontos, mas investidores no mundo e aqui reagem com cautela sobre problemas com vacinação, falta de imunizantes e suspensão da AstraZeneca, além das reuniões de BCs esta semana", diz em análise a clientes o economista-chefe do ModalMais, Álvaro Bandeira.

Às 10h50, o índice cedia 0,30%, aos 114.505,15 pontos.

A despeito da quarta mudança no comando da Saúde, Cubas acredita que essa alteração não terá influência nos negócios. Segundo ele, é sabido que quem comanda a Pasta, no fundo, é o presidente Jair Bolsonaro. "E isso está nos preços, nos modelos do mercado", diz.

continua após publicidade

Em sua primeira entrevista após ser indicado como ministro da Saúde, Marcelo Queiroga disse hoje o que o Brasil precisa é de união nacional para vencer o vírus. Contou que sua nomeação depende de atos no DOU e determinações do presidente Jair Bolsonaro. "Fui convidado para dar continuidade a esse trabalho do governo". Já Bolsonaro disse há pouco que o governo trabalha para estender o auxílio emergencial por alguns meses até o País superar a situação "lamentável".

Caso sua nomeação seja aprovada, o cardiologista assumirá a pasta no momento em que o País tem pioras no quadro da pandemia de covid-19 e Estados continuam adotando medidas sociais mais restritivas, caso agora de Minas Gerais. Ontem, o Brasil atingiu o 17º dia de recorde consecutivo de média diária de mortes pelo novo coronavírus(1.855).

Apesar da mudança na data de divulgação do balanço da Eletrobras, os papéis sobem em torno de 1%. A dificuldade para atender às recentes instruções da Comissão de Valores Mobiliários (CVM) a respeito do registro de alguns itens nas demonstrações financeiras das transmissoras de energia elétrica foi o principal motivo para o adiamento da apresentação dos dados, informam fontes ao Broadcast, sistema de notícias em tempo real do Grupo Estado. O balanço seria divulgado na segunda à noite, mas foi postergado para sexta-feira, 19.