Dólar tem dia volátil com entrada de recurso externo, mas fiscal limita melhora - TNOnline
Mais lidas
Ver todos

Economia

Dólar tem dia volátil com entrada de recurso externo, mas fiscal limita melhora

Escrito por Da Redação
Publicado em Editado em
Associe sua marca ao jornalismo sério e de credibilidade, .

O dólar teve a terceira sessão seguida marcada por forte volatilidade, mas após idas e vindas vem se estabilizando esta semana na casa dos R$ 5,40. O Brasil tem recebido fluxo importante de capital externo pelo canal financeiro, que somou US$ 1,255 bilhão só este mês, até o dia 6, de acordo com o Banco Central. É um movimento que foi descrito hoje pelo Morgan Stanley como o de investidores procurando tudo o que conseguem comprar de mercados emergentes após a definição da eleição americana e resultados positivos da vacina contra o coronavírus da Pfizer. Mas, após ajuste inicial, o real tem resistido a mostrar apreciação maior, por conta dos riscos fiscais do Brasil, relatam profissionais das mesas de câmbio.

O dólar à vista, após altas e baixas ao longo do pregão, encerrou a quarta-feira com valorização de 0,43%, aos R$ 5,4164. No mercado futuro, o dólar com vencimento em dezembro fechou em baixa de 0,48%, em R$ 5,3940.

Após um período de escassez de recursos externos pelo canal financeiro, o Brasil voltou a receber aportes nos últimos dias. Em outubro, o fluxo mostrou saídas líquidas de US$ 560 milhões por esse canal, que no ano já superam US$ 50 bilhões. Mas com aportes na Bolsa, participação em ofertas de ações - como a da Aeris, fabricante de pás para aerogeradores de energia eólica - e captações externas - como a da CSN - este fluxo virou nos últimos dias.

Para os estrategistas do banco americano Morgan Stanley, com a forte liquidez externa e a redução da incerteza em dois fronts importantes - as eleições americanas e a vacina sobre o coronavírus -, o rali nos ativos de emergentes deve continuar até ao menos o primeiro trimestre de 2021, especialmente na América Latina. Na região, o banco está comprado, ou seja, apostando na valorização de uma cesta de moedas formada pelo real, peso mexicano e peso colombiano contra o euro e o dólar.

Mas até que saiam mais detalhes da agenda fiscal e o Orçamento do governo para 2021, o que não deve ocorrer este mês, por conta das eleições municipais, a tendência é de real mais depreciado e câmbio volátil. O estrategista-chefe da gestora TAG Investimentos, Dan Kawa, reafirma estar convicto de que o mercado "não mais dará o benefício da dúvida" ao País. Assim, na ausência de reformas, os ativos locais irão operar com mais prêmio e não terão capacidade de seguir as tendências mais positivas globais. Ontem no final da tarde, o presidente Jair Bolsonaro sinalizou que pode querer prorrogar o auxílio emergencial, o que ajudou o dólar para dezembro acelerar a alta. Hoje, devolveu um pouco dos ganhos.

Gostou desta matéria? Compartilhe!

Deixe seu comentário sobre: "Dólar tem dia volátil com entrada de recurso externo, mas fiscal limita melhora"

O portal TNOnline.com.br não se responsabiliza pelos comentários, opiniões, depoimentos, mensagens ou qualquer outro tipo de conteúdo. Seu comentário passará por um filtro de moderação. O portal TNOnline.com.br não se obriga a publicar caso não esteja de acordo com a política de privacidade do site. Leia aqui o termo de uso e responsabilidade.