Economia

Dólar está instável antes do CPI dos EUA e de olho em serviços e commodities

Da Redação ·

O mercado de câmbio está instável, intercalando alta e baixas moderadas na manhã desta quinta-feira, 10. O dólar à vista chegou a ceder de forma pontual, mas volta ao terreno positivo, enquanto o dólar futuro oscila também. Nos primeiros negócios, os sinais foram mistos, com ajustes ao fechamento anterior.

continua após publicidade

A queda pontual foi influenciada pelo sinal de baixa predominante da divisa americana ante outros pares emergentes do real, como peso mexicano, peso chileno, rublo, lira turca e rand sul africano em meio ao avanço das commodities. Contudo, o índice DXY, que compara o dólar ante seis divisas principais, exibe viés de alta.

Mas a correção leve para cima reflete um viés de alta dos juros futuros, após os fortes dados do setor de serviços no País em dezembro e 2021. Mas a queda dos juros dos Treasuries nesta manhã limita a correção para cima nos juros e câmbio em meio à espera pelo índice de inflação ao consumidor (CPI) dos Estados Unidos em janeiro.

continua após publicidade

O volume de serviços no País teve crescimento de 1,4% em dezembro ante novembro, perto do teto das expectativas do mercado (4% A 10,9%) e também a alta interanual do setor de 10,4%, veio acima da mediana (9,4%) das estimativas (6,3% A 12,7%).

O Broadcast (sistema de notícias em tempo real do Grupo Estado) apurou que o crescimento dos Serviços deixa um carrego estatístico de alta de 1,8% para o setor no primeiro trimestre de 2022 e de alta de 4,2% no ano.

No mercado de commodities, o barril de petróleo amplia alta da sessão anterior e o preço do minério de ferro negociado em Qingdao, na China, fechou em alta de 4,3% nesta quinta-feira, 10, cotado a US$ 152,81 a tonelada, informou um operador. No acumulado no ano até o momento, a commodity metálica registra avanço de 24,98%. Nos últimos 12 meses, o material ainda acumula queda de 8,44%.

continua após publicidade

Às 9h56, O dólar à vista subia 0,19%, a R$ 5,2369. O dólar para março tinha queda de 0,06%, a R$ 5,2575.