Economia

Dirigente do Fed defende taxa básica de juros nos EUA em 3,5% até fim do ano

André Marinho (via Agência Estado) ·
Receba notícias no seu WhatsApp!
Participe dos grupos do TNOnline

O presidente da distrital do Federal Reserve (Fed, o banco central norte-americano) em St. Louis, James Bullard, afirmou nesta sexta-feira, 20, que considera adequado o ritmo atual de aumento de juros em 50 pontos-base por reunião. Em entrevista à Fox Bussiness, o dirigente voltou a defender que a taxa básica suba a 3,5% até o final do ano, da atual faixa entre 0,75% e 1,00%.

continua após publicidade

Bullard, que vota nas reuniões deste ano do Comitê Federal de Mercado Aberto (FOMC, na sigla em inglês), argumentou que os juros poderão ser cortados em 2023 ou 2024, caso a inflação seja controlada.

Na visão dele, o movimento recente de reprecificação nos mercados financeiros reflete, em parte, a política de aperto do Fed.

continua após publicidade

Recessão

Bullard afirmou ainda que não prevê uma recessão no horizonte econômico dos Estados Unidos este ano ou no próximo, apesar dos riscos à atividade decorrentes do aperto monetário.

Na entrevista à Fox Bussiness, o dirigente projetou que o Produto Interno Bruto (PIB) norte-americano crescerá entre 2,5% e 3% este ano, acima da média de longo prazo.

Segundo ele, a taxa de desemprego deve continuar caindo e pode até ficar abaixo de 3% em 2022. Por isso, Bullard considera pequena a chance de estagflação - período prolongado de inflação alta e crescimento econômico lento